Assine

Social Pet inaugura nova sede e visa intensificar sua presença no mercado

O proprietário Ricardo Martins comenta a trajetória e metas da empresa

logo social

Cláudia Guimarães, da redação

claudia@ciausullieditores.com.br

Apesar dos vários caminhos oferecidos pela vida, o destino improvisa e dá um jeitinho para que todas as pessoas realizarem seus sonhos. Prova disso é Ricardo Martins que, quando criança, sonhava em ser piloto de avião. Tornou isso realidade, porém, a maturidade trouxe consigo um novo desejo, que iria beneficiar, inclusive, a rotina com a família: adentrar na área comercial. O que ele não imaginava era chegar onde chegou. Sua distribuidora, a Social Pet (Vinhedo/SP), inaugurou uma nova sede, com maior infraestrutura.

Na noite do dia 25 de outubro, Martins recebeu amigos, familiares e funcionários para um jantar em comemoração à inauguração. “Os convidados são todas as pessoas que, de alguma forma, se envolveram com essa realização. O grande objetivo dessa reunião é celebrar uma conquista. Nesses 13 anos de distribuição, sempre sonhei em ter um depósito próprio e, para isso, fui me preparando, ao longo dos anos, para esse mercado tão promissor e crescente como o mercado pet”, narra.

O proprietário da empresa acredita ter grandes oportunidades nessa nova fase e destaca como grande objetivo a preparação para o futuro, para o crescimento e para satisfazer o que o segmento necessita. “Considero o setor carente de um distribuidor profissional, com tecnologia, que realiza entregas rápidas – realizamos as nossas em até 48 horas”, menciona.

fachada
A Social Pet cresceu e ainda está pronta para dobrar de tamanho em cerca de 5 anos (Foto: divulgação)

Hoje, a Social Pet distribui produtos das empresas PremieRpet (Dourado/SP), Zoetis (São Paulo/SP), Petix (São Paulo/SP) e, ainda, importa algumas máquinas para exames bioquímicos da Abaxis (Estados Unidos). Para otimizar a distribuição dessas marcas, a empresa conta com um programa integrado de gestão que une todas suas áreas: comercial, faturamento e logística. “O grande diferencial que temos é a agilidade desde a geração do pedido no ponto de venda até a logística. Quando o vendedor passa o pedido, já sabe todos os itens que serão faturados e, então, já pode informar o cliente”, explica Martins.

A empresa que oferece este serviço à Social Pet é a Target Sistemas (São Paulo/SP), que é focada em softwares para distribuição, segundo o proprietário. “Estamos com eles há 8 anos. Acabamos desenvolvendo alguns produtos juntos. Até mesmo na construção desse prédio eles nos ajudaram a realizar algumas mudanças, oferecendo consultoria. Nada melhor do que ter uma consultoria logística do próprio sistema que você tem, isso evita conflitos”, garante. Para Martins, esse sistema está apresentando bons resultados e não foi constatado, até agora, nenhum problema ou imprevisto.

Ele conta que uma preocupação dos funcionários foi em relação à estabilidade no emprego diante das mudanças. “Porém, não diminuímos o número de colaboradores, o que conseguimos foi otimizar os recursos. Antigamente, tínhamos muita hora extra, hoje, isso já vem se readequando. Antes, também, rodávamos muito para realizar as entregas, hoje, com o sistema, as entregas são totalmente planejadas, pois é traçado um caminho rápido e certeiro”, expõe.

ricardo martins
Ricardo Martins abriu, em 2004, a 1ª distribuidora
em São Paulo (SP) e, em 2009, deu início
à Social Pet (Foto: C&G VF)

Cuidados que fazem a diferença. Outra preocupação da empresa é em relação ao meio ambiente. Por isso, Martins conta que não utilizam mais papel, mas, sim, um coletor de dados para a separação dos pedidos. Os papéis utilizados são apenas para nota fiscal e boletos encaminhados aos clientes. “Além disso, geramos, praticamente, 100% da energia que utilizamos, com as placas fotovoltaicas e fazemos reúso da água da chuva.

O bem-estar dos funcionários também foi um item repensado para a nova sede e Martins afirma que, apesar de uma operação de apenas 10 dias, por enquanto, nessa nova estrutura, já sente as mudanças e percebe os colaboradores mais animados na realização do trabalho. “Ficou agradável trabalhar aqui. Nos preocupamos bastante com as instalações para todo mundo. Colocamos um vestiário confortável para os colaboradores da produção e temos o refeitório bem espaçoso. Tudo isso é diferente de um galpão simples alugado que poderia ser uma distribuidora como a nossa, um depósito de material de construção ou qualquer coisa. Construímos esse local pensando, realmente, na distribuição de produtos veterinários”, frisa.

Na visão de Martins, o mercado ainda está em fase de maturação, em desenvolvimento, e revela que a ideia da Social Pet é ajudá-lo a crescer. “Nosso negócio não é simplesmente vender para um lojista, nossa ideia é orientá-lo, realizar uma consultoria para o cliente que atendemos. Esse mercado está deixando de ser um simples mercado de ‘venda’. Hoje, vendemos qualidade, vendemos serviço. Nossos vendedores são orientados a passar as informações necessárias para o desenvolvimento de uma loja ou de uma clínica. Agora, contamos com uma estrutura melhor para treinar nossa equipe”, declara.

Para finalizar a conversa com a C&G VF, o proprietário destaca que é preciso correr atrás de um sonho. “Sempre vale a pena, primeiro sonhar e, depois, correr atrás desse sonho. Essa é uma mensagem que sempre gosto de deixar, sempre falo isso em reuniões com os vendedores, porque eu comecei como eles, como promotor de vendas, arrumando prateleiras em supermercado e, hoje, estou aqui. Gostaria muito de, em um futuro próximo, vê-los, também, em uma posição em que estou hoje. Oportunidade todo mundo tem, basta saber aproveitar”, conclui.

Mais informações sobre a empresa, em breve, na edição de novembro da C&G VF.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.