Assine

Tratamento de doenças de pele em cães é comentado por especialista

Algumas enfermidades dermatológicas em cães podem causar problemas graves

Os principais indícios de que o cão está com uma doença dermatológica são coceira, vermelhidão na pele e queda de pelos. As doenças mais comuns são dermatite alérgica à picada de ectoparasitas (pulgas e carrapatos), sarna, malasseziose (fungo) e piodermites. A veterinária e gerente Técnica da Virbac (São Paulo/SP), Fabiana Zerbini, comenta cada uma delas abordando os sintomas e como identifica-las, formas de prevenção e os principais tratamentos.

A Dermatite Alérgica à Picada de Ectoparasitas (DAPE) ocorre quando carrapatos e pulgas se alimentam do sangue dos cães provocando coceira, vermelhidão e inflamação da pele. Os parasitas podem, ainda, ocasionar anemia, além de doenças infecciosas graves, segundo ela. “A prevenção pode ser feita por meio de controle ambiental e por meio da utilização de produtos que matam esses ectoparasitas por contato. Além disso, o cuidador pode, ainda, administrar produtos que aliviam a coceira”, orienta.

coceira
É necessário manter a pele do animal sempre saudável e o
o ambiente em que o cão vive limpo (Foto: reprodução)

Também existem dois tipos de sarna, a demodécica e a sarcóptica. Provocada por diferentes tipos de ácaros, Fabiana explica que a sarna inflama a pele do animal e pode provocar a perda de pelos. “A demodécica é uma doença de animais com predisposição genética e não é transmissível. Sua prevenção deve ser feita ao evitar o cruzamento de animais com histórico da doença e manter o animal diagnosticado com um sistema imunológico forte para o ácaro não se proliferar”. Já a sarcóptica, como comenta a profissional, é contagiosa e pode acometer cães, gatos e o homem. “Para prevenção, é necessário tratar os animais infectados, além de todos os animais que estiveram em contato com ele. O tratamento é feito com medicamentos via oral à base de princípios ativos que combatem o ácaro, como a ivermectina ou a moxidectina”, insere.

Ocasionada por uma levedura, a malasseziose se prolifera quando há fatores que promovam sua multiplicação, como umidade excessiva e uso de corticoides e antibióticos, segundo a especialista. “Os indícios da doença são coceira, pele oleosa e queda de pelos. Após tratamento do fungo, a prevenção é feita mantendo a barreira da pele do cão íntegra com banhos com xampus para pele sensível e produtos hidratantes. O tratamento é feito com xampus antifúngicos, além de tratamento antifúngico via oral”.

Com as piodermites, o animal apresenta lesões com presença de pus e pele avermelhada. São infecções de pele ocasionadas por bactérias. “Normalmente esta relacionada a outra doença de base e, por esse motivo, deve-se descobrir a doença primaria que está originando a coceira e consequente infecção. Por exemplo, a piodermite pode ser secundária à dermatite alérgica”, expõe. Para prevenção, Fabiana diz que é necessário manter a pele do animal sempre saudável, o ambiente em que o cão vive limpo, dar banhos regulares, manter a proteção contra ectoparasitas e, ao sinal de coceiras, levar ao veterinário antes que o próprio ato de coçar origine uma piodermite. “O tratamento é feito com xampus e antibiótico via oral”, finaliza.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

1 comentário
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.
Mônica Lourenço 5 mêses atrás
Tenho uma poodle muito alérgica. Tem pele sensível e agora feridas nos lábios. É muito difícil cuidar dela.