Assine

Vaxxinova, com sede na Holanda, adquire Biovet e se lança no mercado de pet

Negociação corre desde outubro de 2017 e empresas comemoram a união

Cláudia Guimarães, da redação

claudia@ciasullieditores.com.br

Antes mesmo da primeira vez em que o homem chegou à Lua, soluções preventivas, como o desenvolvimento de vacinas, já estavam sendo oferecidas pela empresa que acredita em negócios sem fronteiras. Seu nome? Vaxxinova, que faz parte do familiar Grupo EW, especializado em genética, alimentação animal e saúde animal e assinou contrato de aquisição do Biovet (Vargem Grande Paulista/SP). Para eles, tão importante quanto a primeira visita ao satélite, a compra representa a união de duas famílias que parece que se conhecem há muito tempo e que possuem uma meta: dedicar-se no alcance de bons frutos à saúde animal.

O laboratório brasileiro sempre permaneceu como uma empresa familiar desde sua fundação, em 1957, mas agora, se lança em novos horizontes em busca de ainda mais resultados positivos. O CEO do Biovet, Hugo Scanavini Neto, declara que as duas empresas dividem os mesmos princípios e valores, tendo as pessoas e os clientes no foco da operação. “Nós também compartilhamos a mesma paixão pela ciência em saúde animal. Essa transação garante ao Biovet acesso a uma rede internacional e fortalece, ainda mais, a atual estratégia, com significativos resultados em inovação e crescimento”, revela. Scanavini ainda menciona que a aquisição representa, também, a consolidação do processo de profissionalização da empresa, iniciado há sete anos, e que, agora, passa a contar com o apoio de uma plataforma global.

bandeira
CEOs frisam a mesma visão de “negócio ideal”
das duas empresas (Foto: C&G VF)

A comemoração não vem só da parte da empresa brasileira, já que o CEO da Vaxxinova International, Victor van Solinge, demonstra estar feliz ao dar boas-vindas ao laboratório. “O Biovet possui uma reputação de longa data no mercado brasileiro de saúde animal com uma ótima equipe de gestão e um excelente portfólio de produtos. Essa nova combinação irá nos permitir crescer mais rápido e oferecer uma gama de produtos e serviços mais ampla para nossos clientes. Assim, vemos um excelente alinhamento entre as empresas uma vez que temos culturas similares, forças complementares e o mesmo comprometimento de longo prazo com a indústria”, assegura. Um ponto importante comentado pelo profissional é que não se trata de uma união onde as duas empresas possuem produtos similares em um mesmo mercado e, então, ficam disputando visibilidade no mercado, mas, sim, será uma complementação e união de valores e, principalmente, de paixão.

Van Solinge explica que o nome da empresa vem da junção da palavra “vacina” e “inovação” e que seu foco são biológicos e diagnósticos, até então, em animais de produção. “Após a aquisição do Biovet, entraremos no mercado de animais de companhia”, expõe. Em sua visão, a parte de pesquisas e biológicos é uma profissão onde as pessoas devem trabalhar com liberdade e que, só assim, conseguem oferecer os melhores produtos.

O CEO da Vaxxinova avalia o trabalho do Biovet em todos os setores, mas destaca a ação do marketing: “A empresa realiza um bom trabalho para seus produtos, mesmo com budget limitado para produtos destinados a pequenos animais. Alcançar bons resultados uma ou duas vezes pode ser coincidência, mas várias significa que a empresa é competente no que está disposta a fazer. Por isso estamos otimistas, pois sabemos que podemos investir recursos em um laboratório focado como o Biovet, porque, certamente, o retorno a longo prazo acontecerá”, comenta e finaliza: “Estamos prontos para trabalhar juntos com paixão e compromisso. Uma pessoa ou empresa que não é apaixonada pelo que faz não progride”.

O CEO do Biovet, Hugo Scanavini Neto, reforça que, apesar de a origem das empresas serem diferentes, as culturas são muito parecidas, já que as duas levam a mesma visão de “negócio ideal”. “Eles procuravam uma empresa, no Brasil, que tivesse uma participação representativa nos setores que se destina, imagem e marca estabilizadas, com penetração, com planta e com desenvolvimento. O que o Biovet buscava, preferencialmente, era uma empresa familiar, com solidez financeira, que pensasse a longo prazo e que investisse em pessoas. Encontramos”, comemora.

Scanavini também menciona que a estratégia para o mercado pet é seguir como está. “No entanto, não significa que, com a união, nada será alterado, mas, sim, que vamos fortalecer e acelerar”, atesta e declara que este tipo de negociação não estava nos planos do Biovet, mas, assim que o laboratório teve contato com a Vaxxinova, decidiu prosseguir com o negócio. “Isso porque fluiu a ideia de se solidificar, ter maior possibilidade de investimento, ter acesso a novas tecnologias e exportar e importar conhecimento”, conclui.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.