Assine

Veterinária afirma que gatos não transmitem toxoplasmose a grávidas

Única forma de ser acometido pela doença é ingerindo carnes de caça

Quem tem um gato como animal de estimação já deve ter ouvido falar sobre o perigo da transmissão da toxoplasmose pelos felinos a mulheres grávidas. A toxoplasmose na gravidez, geralmente, é assintomática para a mãe, mas pode ser muito perigosa ao bebê, causando cegueira, problemas mentais, aborto espontâneo, entre outras. 

Entretanto, muitas vezes, esta questão é tratada de forma equivocada, tornando o gato o grande vilão da história. A médica-veterinária e gerente de Marketing da Vetnil (Louveira/PR), Fernanda Cioffetti Marques, explica todas as dúvidas sobre este mito. 

As duas formas em que o gato pode adquirir o toxoplasma são por ingestão de carne de caça, seja de roedor ou de aves, ou, então, receber carne crua na sua dieta contendo os cistos do toxoplasma. Outro ponto importante é que o parasita faz seu ciclo de replicação intestinal dentro do corpo dos felinos por mais ou menos cinco a sete dias, sendo eliminado nas fezes desse animais na forma de oocistos, uma única vez na vida do animal e não continuamente ou periodicamente, como muitas pessoas acreditam.

gravida_1
Convivência entre mãe, bebê e felino é mais do
que saudável e livre de doenças (Foto: reprodução)
Quanto à viabilidade desses oocistos no ambiente, é necessário, ainda segundo Fernanda, citar que estes necessitam de cerca de 24h a 96h expostos à temperatura ambiente para esporular e se tornar infectante ao homem, o qual se contaminará somente se ocorrer ingestão por via oral. 

De acordo com a veterinária, se uma pessoa tem um gato que usa a caixa de areia para fazer suas necessidades, mesmo estando contaminado e eliminando o parasita naquele período, se a limpeza da caixa é realizada diariamente e a pessoa mantém bons hábitos de higiene pessoal, não levando a mão suja até a boca, os riscos de contaminação são nulos. 

Estima-se que 500 milhões de pessoas no mundo são positivas para a toxoplasmose. O que poucos sabem, como aponta Fernanda, é que a maneira mais comum disso ocorrer é por meio da ingestão de carnes cruas, malpassadas e outros derivados contaminados, além de ingestão de água de caixas d´água de locais que não fazem higiene constante e ingestão de legumes, verduras e frutas mal lavadas. 

Para Fernanda, é preciso ter cautela com a alimentação, principalmente ao fazer refeições fora de casa. “Além disso, o oocisto do toxoplasma permanece viável por até seis meses em águas com temperatura ambiente. Portanto, atenção com a procedência da água que vai tomar. Estes são os principais tópicos que precisamos ficar atentos quando o assunto é toxoplasmose”, aconselha. 

Para as mulheres que estão grávidas e têm gato em casa, fica a dica da veterinária para que não se preocupem. Com bons hábitos de higiene e cuidados especiais com a alimentação do animal, a convivência entre mãe, bebê e felino é mais do que saudável e livre de doenças. 

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.