Assine

Veterinário mostra como cuidar das raças de cães preferidas dos brasileiros

Especialista dá dicas de manejo para manter a saúde e o bem-estar dos pets

Quase metade dos lares brasileiros possuem cães, de acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE, Rio de Janeiro/RJ). Os sem raça definida são os preferidos, seguidos por cães das raças Poodle, Pinscher, Labrador e Pit Bull, conforme levantamento recente do Instituto QualiBest (São Paulo/SP). 

Os cuidados com os animais podem variar de acordo com a raça, como comenta o gerente Técnico e de Pesquisa Aplicada para Animais de Companhia da Zoetis (São Paulo/SP), Alexandre Merlo. “Por isso, é importante conhecê-las para garantir a saúde e o bem-estar do seu animal de estimação”, observa e dá dicas sobre os cuidados com os cães favoritos dos tutores brasileiros. 

Os sem raça definida, por serem a combinação de duas ou mais raças, não apresentam padronização de suas características, mas, geralmente, são carinhosos, inteligentes, leais e brincalhões. “É importante manter uma alimentação adequada com comidas próprias para cães, ficar sempre de olho no calendário de vacinação e promover passeios regulares”, orienta. Muitos tutores acham, segundo ele, que estes cães são mais resistentes por conta da mistura de raças, o que não é verdade. 

poodle
Tutores devem ficar atentos ao Poodle, que pode
desenvolver infecções no ouvido (Foto: reprodução)

O Poodle existe em três tamanhos oficiais: Poodle Toy, Poodle Miniatura e Poodle Médio. Essa é uma raça de cães mais inteligentes e obedientes. São ótimos com crianças, amigáveis, ativos e aprendem rápido, por isso é importante cortar maus hábitos rapidamente. “Os pelos do animal não caem quando estão mudando, portanto é importante escová-los com frequência para que não se emaranhem e machuquem o animal”, frisa Merlo. Outra característica que exige atenção é o fato de os olhos lacrimejarem constantemente. “É preciso limpar diariamente ao redor dos olhos com um pano umedecido em água morna”, adiciona. 

Há duas variações do Pinscher, o Anão e o Mini. São pequenos, mas enérgicos e corajosos, o que pode levá-los a entrar em confusão com cães maiores. “Assim, é importante ficar atento a eles durante os passeios. Esses pequenos são teimosos e independentes, podem não ser amigáveis com desconhecidos, mas, de forma geral, são carinhosos da maneira deles e gostam de estar perto dos donos”, explica. 

O Labrador é ativo, sociável e gosta muito de companhia. Cães têm a fama de não gostarem de banho, mas essa raça é uma das poucas que adora nadar e estar em contato com água. “Labradores precisam de atenção para não adoecerem, pois são muito apegados a seus donos. Em geral, é uma raça fácil de conviver e educar, mas também apresentam tendência à obesidade, por isso precisam de alimentação regulada e exercícios diários”, destaca o veterinário.

O Pit Bull é conhecido pelo seu porte atlético e por ser dotado de força, agilidade e energia. São polêmicos por sua agressividade, mas isso não passa de mito, como reforça o profissional. “Como quaisquer outros cães, terão o comportamento de acordo com os ensinamentos do tutor, sendo assim, é importante conhecer bem essa raça antes da adoção. São cães enérgicos, adoram passear e são apegados aos donos. Eles preferem climas quentes por conta da pelagem curta”, expõe. De acordo com Merlo, a pele pode ser um ponto de atenção nessa raça, já que as infecções e alergias são bastante comuns.

“Independentemente da raça do cão, é importante levá-lo com regularidade ao médico-veterinário e estar sempre atento ao calendário de vacinação, alimentação e exercícios”, finaliza. 

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.