Assine

Veterinário oferece dicas para administração de medicamentos em gatos

Líquidos, sólidos ou pastosos devem ser oferecidos de maneira diferente

Muitas pessoas encontram dificuldades em fornecer remédios para gatos, mas especialistas mostram que não é impossível fazer isso em casa. É verdade que o gato apela para a desobediência nesse momento, pois é de sua natureza ser desconfiado com atitudes consideradas suspeitas. Pensando nos tutores, o médico-veterinário da Max Cat e gerente Nacional da Total Alimentos (Três Corações/MG), Marcello Machado, fez uma lista mostrando como dar a medicamentação para o felino.

Quando se tratar de remédios líquidos ou xaropes, o tutor deve introduzir com a ajuda de uma seringa própria para o felino. “É importante medir a quantidade receitada pelo veterinário, pois, assim, evita-se que ocorram intoxicações e outros acidentes com o gato”, destaca. Machado orienta a pegar o animal no colo, fazer carinho e deixar um petisco sempre à vista. “Assim o tutor fará com que o pet associe o remédio a uma recompensa positiva ao fim de todo o processo”, comenta e diz que é importante manter o diálogo com o pet e, quando ele estiver tranquilo, puxar o lábio dele e apoiar o bico da seringa. “O proprietário deve pressionar lentamente a seringa para que o animal não engasgue e para que ingira o líquido de forma gradativa. Outra dica é embrulhá-lo em uma coberta para que fique bem confortável e evite que o dono seja arranhado”, insere. 

remedio gato
Remédios em pasta é a forma mais tranquila de fornecer
a medicação para gatos (Foto: divulgação)

Com medicamentos sólidos, Machado afirma que não é tão amistoso oferecer um comprimido ao gato como acontece com um cão, pois os felinos são mais ariscos. “Uma dica é misturar o comprimido em algum alimento que o gato goste muito, por exemplo um petisco mais macio ou até mesmo Max Cat Patê. Dê um pedaço sem o remédio, depois ofereça o pedaço com o comprimido escondido e por último dê outro sem nada. Espere e certifique-se de que o pet engoliu tudo”, orienta. Outra forma, segundo ele, é pegá-lo de costas, colocá-lo entre as pernas, segurar a cabeça e colocar o medicamento bem mais do que a metade da língua, segurar a boca para que ele engula. “Essa é uma maneira interessante e que evita que o felino fique exaltado e machuque o tutor sem querer, pois quando o gato não encara o tutor é menos provável que ele fique agressivo”, explica. Para facilitar mais ainda, no mercado existem os aplicadores de comprimidos, como comenta o profissional: “Eles introduzem o remédio diretamente na garganta sem que o pet sinta o gosto da medicamentação”, completa. 

Os remédios em pasta têm sido os mais indicados para os felinos, sendo, também, a forma mais tranquila de fornecer a medicação para o animal, de acordo com Machado. “A pasta pode ser passada nas patinhas, pois, instintivamente, o gato tende a lamber. Outro ponto bem estratégico é no focinho. Nesses casos, a única preocupação é verificar se o pet lambeu toda a pasta e não deixar a medicação cair sem antes ter lambido completamente”, conclui.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.