Assine

Veterinários podem recorrer a exercícios para manutenção do organismo

Identificar o que lhe faz bem pode levar profissional ao caminho do bem-estar

Cláudia Guimarães, da redação

claudia@ciasullieditores.com.br

Há quem se intitule sedentário, “fugitivo” de atividades físicas por falta de tempo por conta de uma rotina de trabalho agitada. No entanto, ações básicas e rotineiras já são encaradas como uma forma de ativar o físico das pessoas. O que deve ser melhorado, principalmente, nos médicos-veterinários sem disciplinas fixas, são os exercícios do corpo, fundamentais para garantir sua boa disposição.

O educador Físico e Coaching de Saúde e Bem-Estar, David Aizenas, desvenda que atividade física é todo movimento que fazemos diariamente, desde a hora em que nos levantamos, até a hora em que vamos dormir. “Ou seja, todas as atividades que fazemos e gastamos calorias, como, andar, escovar os dentes, subir escadas, fazer exercícios em academias, clubes, em casa ou parques, que submetem nosso corpo a uma ação, é uma forma de atividade física”, explica.

Já os exercícios tem como principal característica a elaboração da atividade que propõe, segundo o profissional. “Esta atividade é pontual, tem um roteiro, começo, meio e fim, às vezes, um acompanhamento e um planejamento. Assim, é qualquer atividade que fazemos para atingir algum objetivo, seja profissional, amador, para ganhar ou perder peso ou massa muscular ou pós-cirúrgico, para reestabelecer a plenitude dos movimentos. Concluindo, os exercícios estão contidos na atividade física e podem fazer parte de um momento de nossos dias”, defende.

Mas de que forma o veterinário deve realizar exercícios a fim de manter uma boa qualidade de vida, unida à alimentação equilibrada e boas noites de sono? Segundo Aizenas, fazer alguma atividade física, seja amadora, profissional ou com a intenção de estabelecer alguma melhora corporal, é de extrema relevância. “Qualquer pessoa pode iniciar uma atividade, como caminhar, um movimento natural dos seres humanos, como algo diário. Assim como o veterinário plantonista pode e deve acrescentar alguma atividade física ou exercícios em seu dia a dia. Coisas simples, como uma caminhada até o trabalho ou colocar o carro em um estacionamento um pouco mais longe, descer um ou dois pontos antes do trabalho e seguir a pé, fazer alongamentos dos membros superiores e inferiores a qualquer momento do dia, espreguiçar, entre outros exercícios”, expõe.

caminhar
É importante lembrar que cada pessoa deve procurar uma
atividade ou exercício que lhe dê prazer (Foto: reprodução)

Preste atenção! Dar-se conta de que está na hora de cuidar de si mesmo é uma das tarefas mais difíceis de nós seres humanos, na visão do educador físico, tendo em vista a correria diária, trabalho, família, trânsito e outros itens que tomam o tempo diário. “A classe médica veterinária está, diariamente, cuidando dos outros, não se dando a oportunidade de olhar para si mesmo e enxergar a necessidade de fazer a mudança para o aumento da qualidade de vida. Mas a mudança não é impossível”, argumenta.

É muito importante, segundo Aizenas, o veterinário parar, respirar e perguntar-se “O que estou fazendo para mim? O que estou fazendo para ter cuidados comigo? O que posso fazer para mudar este cenário?”. “Estas perguntas são os primeiros passos para que as pessoas iniciem um processo de mudança e conscientização”, afirma.

Sinais de exaustão. Cada um de nós possui uma energia gasta diariamente, nas atividades pessoais, trabalho, locomoção, entre outras, como discorre o profissional, e, dependendo da jornada diária de trabalho, estresse, fatores genéticos e falta de cuidados pessoais, podemos, sim, chegar a um esgotamento, físico e mental. “Nosso corpo precisa ser nutrido de alimentos, prazeres, momentos de tranquilidade e, por que não, de exercícios para ministrar uma manutenção do nosso organismo. Levando isso em consideração, podemos reverter o cenário de ‘caos’ e sobrecarga que nos colocamos diariamente. Ter a percepção de identificar o que nos faz bem, o que nos dá prazer, o que nos motiva e o que nutre nosso corpo, pode nos levar ao caminho do bem-estar e da qualidade de vida”, assegura.

É importante lembrar que cada pessoa deve procurar uma atividade ou exercício que lhe dê prazer e que te motive a melhorar. “Não há ‘receita de bolo’. Cada um deve buscar a atividade que se adeque à sua realidade, tempo e localização. E, se possível, procurar sempre o auxílio de um profissional da área. Assim, com certeza, os ganhos e benefícios serão notados rapidamente”, compartilha. Um exemplo simples de exercícios que a maioria da pessoas pode fazer, é a caminhada, como já citado por Aizenas. “Caminhar por 20 ou 30 minutos diariamente, mudaria, em curto prazo, alguns aspectos de nosso organismo e, aos poucos, a dica é aumentar gradativamente esta atividade, seja em tempo, distância ou dificuldade”, orienta.

Após tantas dicas do coaching de saúde visando auxiliar os veterinários na melhoria do corpo e bem-estar, ele ainda deixa um recado final: “Parem um pouco dentro da correria do dia a dia para respirar, sintam e olhem seu corpo, ouçam seus batimentos cardíacos, se questionem se estão cuidando se si, tenham a percepção de indagar o que pode ser feito para aumentar e melhorar sua qualidade de vida. Façam atividades que aumentem sua autoestima e autoimagem, que te proporcionem, ao final, a sensação de missão diária comprida”.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.
Erro ao enviar o comentário. Por favor, preencha o captcha e tente novamente.