Assine

Zoetis afirma que coceira corresponde a 40% das consultas de cães

Especialista destaca alguns cuidados para evitar o problema nos pets

A coceira em cães pode ser provocada por vários fatores e é um problema frequente – aflige pelo menos 40% dos animais que vão ao médico-veterinário. 63% dos 400 clínicos gerais entrevistados recentemente pela Zoetis (São Paulo/SP) afirmam que de três a cinco consultas realizadas por dia estão relacionadas a doenças dermatológicas. 

Além disso, 85% dos veterinários participantes da pesquisa apontam que cresceu a procura dos tutores por especialistas em doenças de pele. “Os tutores no Brasil veem os animais como membros da família e, por isso, têm buscado cada vez mais informações e atendimento especializado”, afirma o gerente Técnico de Animais de Companhia da Zoetis, Alexandre Merlo.

Com alguns cuidados, é possível combater diversas causas do prurido – termo técnico para designar coceira. Confira dicas de Alexandre Merlo, lembrando sempre que, se o seu cão apresentar sintomas de alergia, você deve procurar um médico-veterinário:

Alimentos como carne bovina, frango e derivados do leite, entre outros, podem causar alergias intensas nos cães, sendo a coceira um dos principais sintomas. Em alguns casos, pode haver diarreia e até vômito. “Os tutores devem evitar oferecer aos cães alimentos não destinados a eles, já que também podem resultar em intoxicações alimentares”, comenta o especialista. 

coceira caes
Determinados alimentos, composição de produtos de higiene, ácaros  e pólen podem causar prurido em cães (Foto: reprodução)

A composição de alguns perfumes, xampus e produtos de limpeza pode conter agentes alergênicos para os cães e causar irritação na pele, além de intoxicação. “Os tutores devem evitar o contato dos animais de estimação com os produtos de limpeza armazenados e também durante o seu uso em casa. Alguns deles podem causar dermatites de contato, queimaduras na pele e sintomas de intoxicação por inalação. Além disso, xampus inadequados e perfumes fortes também podem trazer riscos aos animais”, alerta Merlo. 

Tapetes, cobertores, cortinas, sofás e camas podem contar com a presença de ácaros, segundo o profissional. “O pó pode causar alergias nos animais devido à presença de ácaros microscópicos, sendo a coceira um dos principais sintomas. Às vezes, o tutor acredita que a causa pode ser a picada de pulgas ou de outros parasitas, mas na verdade é um quadro alérgico que afetou a pele por causa de ácaros de poeira”. 

Merlo também recomenda cumprir a agenda regular de prevenção de parasitas externos para evitar o prurido. “Mas, se as picadas de pulgas e carrapatos desencadearem um quadro alérgico no animal, é preciso procurar um médico-veterinário”, insere. 

Assim como no ser humano, o pólen também pode causar alergia nos animais, por isso as flores devem ser evitadas nos ambientes com cães que têm alergia. Alexandre alerta, também, a respeito de plantas como “comigo-ninguém-pode” e azaleia, que são tóxicas para os animais. “Ao serem ingeridas, podem provocar vômitos e diarreia, entre outros sintomas”.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Seja o primeiro a comentar
Seu comentário foi enviado. Aguarde aprovação.