in

A CADA SEMANA, SÃO VICENTE (SP) REGISTRA ATÉ SEIS CASOS DE PETS ABANDONADOS

Frequentemente, animais adultos também são rejeitados, segundo Prefeitura

Frequentemente, animais adultos também são rejeitados, segundo Prefeitura

De quatro a seis filhotes de cães e gatos são abandonados por semana na porta do Departamento de Zoonoses da Secretaria Municipal de Saúde (Dezoon) de São Vicente (SP). Há ainda animais adultos que, frequentemente, são deixados no local.  

Segundo o chefe de departamento do órgão, Kleber Souza Costa, entre os mais velhos, muitos já estão doentes, até com tumores. “É triste vermos que um animal ficou a vida toda com uma pessoa e, no final, é abandonado”, declara. 

Depois de uma triagem e tratamento, os cães e gatos que chegam ao departamento ficam prontos para receber um novo lar. “Eles são vermifugados, castrados, vacinados e é inserido um chip para identificação e controle populacional”, conta Costa. 

filhotes

Abandono deve ser denunciado pessoalmente na Promotoria do Meio Ambiente do Ministério Público (Foto: reprodução)

Já os filhotes com menos de quatro meses são avaliados pelos médicos-veterinários e recebem um vale-castração para o proprietário agendar uma data para o procedimento. 

No momento, estão à espera de um lar dez gatos, sendo dois adultos. Também há oito filhotes de cães para serem doados. As pessoas interessadas na adoção podem comparecer ao departamento. 

Além destes, existem os cães de rua adultos que, quando recolhidos pelo Departamento de Zoonoses, são tratados e devolvidos ao local de origem no Município, de acordo com o Termo de Ajuste e Conduta (TAC), do Ministério Público (MP). A Prefeitura ressalta que o abandono de animais em vias da cidade deve ser denunciado pessoalmente na Promotoria do Meio Ambiente do Ministério Público.

Fonte: A Tribuna, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PROFISSIONAIS PODEM SE INSCREVER PARA TÍTULO DE DERMATOLOGISTA VETERINÁRIO

VETERINÁRIOS PODEM APRENDER SOBRE RT EM ANIMAIS SELVAGENS