in

Agente fiscal possui importante papel para o exercício da Medicina Veterinária e da Zootecnia

Poucos sabem, mas esses profissionais asseguram a qualidade dos serviços prestados à população

O Agente Fiscal possui uma função de grande importância para o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP) e para a Medicina Veterinária e Zootecnia em todo o País e já explicamos o porquê. Fiscalizar o exercício profissional é uma das principais atribuições da autarquia e visa garantir o exercício pleno das profissões e assegurar a qualidade dos serviços prestados à população

Segundo o presidente do Regional, Odemilson Donizete Mossero, a fiscalização deve ser compreendida como uma ação estratégica para o fortalecimento da Medicina Veterinária e da Zootecnia. “É importante que a classe compreenda que a fiscalização não é punição, mas orientação”, diz.

Ao todo, são oito fiscais trabalhando na sede em São Paulo e nas Unidades Regionais de Fiscalização de Atendimento (Urfas), atuando conforme a Resolução CFMV nº 672/2000, com o intuito de coibir qualquer prática ilegal da Medicina Veterinária e da Zootecnia no Estado, focados no atendimento e interesse público coletivo e em garantir a Saúde Única. 

Os fiscais são, muitas vezes, o primeiro contato com as solicitações de médicos-veterinários e zootecnistas e, representam um importante elo com a categoria profissional. “Eles têm pleno conhecimento da legislação e capacidade técnica para orientar e esclarecer dúvidas sobre o Código de Ética e exercício ilegal. Portanto, é um parceiro na jornada, que ajudará a levar as demandas e necessidades das classes para o Regional”, explica o presidente da Comissão de Fiscalização do CRMV-SP, Otávio Diniz.

Em campo

Mauro Filho atua como fiscal médico-veterinário no CRMV-SP há 12 anos. Neste período, notou mudanças na relação com os profissionais. “Antigamente, o Conselho era visto apenas como um órgão que faz cobranças. Hoje eles compreendem a fiscalização como uma oportunidade de relacionamento e percebem o esforço do Regional para a valorização e reconhecimento das profissões”, conta.

Em suas visitas diárias, Mauro faz a apuração de denúncias e orienta sobre a obrigatoriedade de registro junto ao Conselho e da presença de um médico-veterinário ou zootecnista responsável técnico (RT) nos estabelecimentos. O fiscal tem o cuidado de apresentar a legislação que auxilia na proteção jurídica da ação a qual fiscaliza, além de elaborar relatórios, ofícios e fazer tabulação de dados.

O CRMV-SP está com edital aberto para contratação imediata de nove médicos-veterinários fiscais por meio de concurso público (Foto: divulgação)

Nos últimos sete anos, quando foi iniciada a série histórica do índice, 16.420 empresas foram regularizadas, garantindo inclusive postos de trabalho aos profissionais das classes, graças ao trabalho de fiscalização.

Além de cumprir a função institucional do CRMV-SP, também trabalha conjuntamente a outros órgãos de governo, como as vigilâncias sanitárias, ambiental, Ministério Público, Polícias Civil e Militar. Estes esforços são para colaborar com a segurança da população e do bem-estar animal, além da elevação da Medicina Veterinária e da Zootecnia, como profissões regulamentadas.

Para o exercício da função é necessária a articulação de competências técnicas e teóricas, por isso, a educação continuada é fundamental para garantir a qualidade dos serviços prestados aos profissionais. “Conheci em campo a extensão da Medicina Veterinária e da Zootecnia. É gratificante trabalhar pela profissão que escolhi e lutar pela sua valorização”, afirma Mauro.

Vale lembrar que das mãos dos médicos-veterinários e zootecnistas passam todos os alimentos de origem animal e o CRMV-SP tem o dever de verificar se as empresas têm estes profissionais em suas linhas de trabalho, de modo a garantir a qualidade e a sanidade dos alimentos.

Profissionalização da fiscalização

Em um estado com mais de 44 mil profissionais ativos, como é o caso de São Paulo, torna-se cada vez mais relevante e complexa a atuação da fiscalização. Por isso, uma série de investimentos está sendo realizada a fim de profissionalizar o trabalho dos fiscais do CRMV-SP.

Recentemente, a Comissão Estadual de Fiscalização foi criada e empossada. O grupo visa propor soluções que atendam às demandas que chegam ao Conselho, aprimorar as estruturas de trabalho e realizar ações educativas. “Este é um desafio novo e importante para todos os integrantes, pois se trata de uma área prioritária para a classe”, afirma o presidente da Comissão, Otávio Diniz.

Para aumentar o número do efetivo, o CRMV-SP está com edital aberto para contratação imediata de nove médicos-veterinários fiscais por meio de concurso público, a fim de melhorar o atendimento aos profissionais e empresas, e ampliar a fiscalização no Estado. “É uma área que priorizamos e pretendemos investir e fortalecer cada vez mais, com contratação de ainda mais profissionais, além dos nove, após aquisição de equipamentos necessários ao trabalho”, afirma o presidente da autarquia, Odemilson Donizete Mossero.

Fonte: CRMV-SP, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Nas redes sociais, veterinário deve tomar cuidado para não ferir Código de Ética Profissional

Reflexo da pandemia na gestão das carreiras indica período de transformação

Faculdade de Veterinária da UFRGS se destaca em ranking mundial de universidades

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Corpo de Bombeiro é acionado no Estado do Ceará para resgate de animais silvestres

mosquito da dengue

CRMV-CE reforça os cuidados para prevenção de arboviroses durante período chuvoso