in

Alergias e contatos com insetos podem causar úlcera indolente eosinofílica oral em gatos

Predisposição para o problema também pode ser por fator genético ou autoimune

Complexo Granuloma Eosinofílico (CGE) é uma síndrome dermatológica possível em três formas: úlcera indolente, placa eosinofílica e granuloma eosinofílico. A causa pode ser alergia, contatos com insetos, parasitas, alimento, produtos, fator genético ou autoimune.

Na patogênese está a atração e ativação dos eosinófilos desencadeada por mastócitos no epitélio sensibilizado por traumatismo, onde o estímulo alérgeno e bactérias exacerbam o processo. Como consequência, são liberadas enzimas proteolíticas e mediadores pro-inflamatórios, causando necrose do colágeno, atraindo macrófagos gerando um granuloma ou formando úlcera, com o colágeno necrosado ao centro.

O diagnóstico é clínico, confirmado por citologia ou histopatológico. A etiologia ainda mal compreendida resulta em falhas terapêuticas. Vários tratamentos são descritos e particularidades da espécie felina devem ser consideradas. Relata-se o sucesso terapêutico em três casos similares de úlceras indolentes labial em felinos de diferentes modos de vida.

Leia o relato de caso completo na edição de junho da C&G VF. Clique aqui.

(Abaixo, as referências bibliográficas utilizadas pelos autores)

(Foto: C&G VF)

Referências bibliográficas 

1-ACC&D – Alliance for Contraception in Cats & Dogs. Position document, EUA 2013. www.acc-d.org. Disponível em: https://www.acc-d.org/docs/default-source/Research-and-Innovation/pppp-megestrolacetate.pdf?sfvrsn=2 Acesso em maio 2022. 

2-BUCKLEY, L.; NUTTALL, T. Feline eosinophilic granuloma complex(ities) some clinical clarification. Journal of Feline Medicine and Surgery. 2012, v.14, p.471–481. Disponível em: https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/1098612X12451549 Acesso em maio de 2022.

3-BLOOM, P. B. Canine and feline eosinophilic skin diseases. Veterinary Clinics of North America: Small Animal Practice 2006, v. 36, p. 141–160. Disponível em https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0195561605001282?via%3Dihub  Acesso em maio 2022.

4-COLOMBINI, S.; HODGIN, E.C.; FOIL, C.S.; HOSGOOD, G.; FOIL, L.D. Induction of feline flea allergy dermatitis and the incidence and histopathological characteristics of concurrent indolent lip ulcers. Vet Dermatol. 2001, v.12, p. 155-61. Disponível em: https://onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1046/j.1365-3164.2001.00243.x  Acesso em maio 2022.

5-DEBOER, D.J. Feline facial dermatoses. X Southern European Veterinary Conference. Granada, 2016. https://www.ivis.org/library/sevc/sevc-annual-conference-granada-2016/feline-facial-dermatoses Acesso em maio de 2022.

6-EHLERS, L. P., SLAVIERO, M., PICCOLO VARGAS, T., ARGENTA, F. F., DRIEMEIER, D., AMORIM DA COSTA, F. V., PAVARINI, S. P., & SONNE, L. Epidemiologic and Pathologic Aspects of Feline Eosinophilic Granuloma Complex. Acta Scientiae Veterinariae. 2019, v. 47(1). https://doi.org/10.22456/1679-9216.98316 Acesso em maio 2022.

7-FALCÃO, F., FAÍSCA, P., VIEGAS, I., DE OLIVEIRA, J. T., & REQUICHA, J. F. (2020). Feline oral cavity lesions diagnosed by histopathology: A 6-year retrospective study in Portugal. Journal of Feline Medicine and Surgery, 22(10), 977–983. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/32031045/ Acesso em maio de 2022

8-FOSTER, A. Clinical approach to feline eosinophilic granuloma complex. Journal BMJ. In Practice 2003; vol. 25, p. 2–10. Disponível em: https://bvajournals.onlinelibrary.wiley.com/doi/10.1136/inpract.25.1.2 Acesso em maio de 2022.

9-FOIL, C.S. Feline Eosinophilic Skin Diseases. II Congresso Internacional de Medicina Felina-CINFEL. Anais 2013, p. 10-13. Disponível em: http://www.fcv.unl.edu.ar/archivos/posgrado/especializaciones/espsaludanimal/informacion/material/060910/congreso.pdf Acesso em abril 2017.

10-GELBERG, H.B.; LEWIS, R.M.; FELSBURG, P.J.; SMITH, C.A. Antiepithelial autoantibodies associated with the feline eosinophilic granuloma complex. Am J Vet Res. 1985, v 46, p. 263-5. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/3882029/ Acesso em maio de 2022.

11-GURGEN OZTURK, hazal; KECICI, pembe dilara; YUZBASIOGLU OZTURK, gulay; E GUREL, aydin. Estudo Retrospectivo de Neoplasias da Cavidade Oral Felina e Lesões Não Neoplásicas, Entre 2010 e 2020. Acta Veterinaria Eurasia. 2021, v. 48, p. 1-7. Disponível em:https://actavet.org/Content/files/sayilar/11/ACTAVET_20210018_nlm_new_indd.pdf Acesso em maio 2022

12-HAYDEN, D.W.; BARNES, D.M.; JOHNSON, K.H. Morphologic Changes in the Mammary Gland of Megestrol Acetate-treated and Untreated Cats: A Retrospective Study. Vet. Pathol. 1989, v. 26, p. 104-113. Disponível em:  https://journals.sagepub.com/doi/10.1177/030098588902600202 Acesso em maio de 2022. 

13-KAITLIN P HOPKE AND SANDRA J SARGENT. Novel presentation of eosinophilic granuloma complex in a cat. Journal of Feline Medicine and Surgery Open Reports. 2019, v x, p. 1–7. https://doi.org/10.1177/205511691989154 

Novel presentation of eosinophilic granuloma complex in a cat (sagepub.com)

14-LEISTRA, W.H.; VAN, O.B.A.; WILLEMSE, T. Non-pruritic granuloma in Norwegian forest cats. Vet Rec. 2005, v. 30, p. 575-7. Disponível em: https://bvajournals.onlinelibrary.wiley.com/doi/abs/10.1136/vr.156.18.575 Acesso em maio 2022.

15-LORI D. MACDOUGALL. Mammary fibroadenomatous hyperplasia in a young cat attributed to treatment with megestrol acetate. Can Vet J. 2003, v.44.p.227-229. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/12677692/ Acesso em maio 2022. 

16-MASON, K.V.; EVANS, A.G. Mosquito bite-caused eosinophilic dermatitis in cats. J Am Vet Med Assoc. 1991, v. 12, p. 2086-8. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/1679425/ Acesso em maio de 2022. 

17-MASON, K. & BURTON, G. Complejo granuloma eosinofílico. Guia practica de Dermatología felina. Espanha, MERIAL. 1999, 1 ed, Cap.12, p.12.1-12.9.

18-NOLI, C.; SCARAMPELLA, F. Prospective open pilot study on the use of ciclosporin for feline allergic skin disease. J Small Anim Pract. 2006, v. 47, p. 434-8. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/16911110/ Acesso em maio de 2022. 

19-NORSWORTHY, G.D.; CRYSTAL, M.A.; GRACE, S.F.; TILLEY, L.P. O paciente felino: tópicos essenciais de diagnóstico e tratamento. 1 ed. Manole, SP-2004. 815p. 

20-SCOTT, D.W., MILLER, W.H., GRIFFIN, C.E. Muller & Kirk. Dermatologia de pequenos animais. 5. ed. Rio de Janeiro: Interlivros, 1996. 1130 p

21-TAGLINGER, K.; DAY, M. J.; FOSTER, A. P. Characterization of inflammatory cellinfiltration in feline allergic skin disease. Journal of Comparative Pathology. 2007, v. 137, p. 211-223. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/17920072/  Accesso em maio 2022.

22-VERHAERT, L. (2010). Oral proliferative lesions in the dog and cat. European Journal of Companion Animal Practice, 20(3), 1–13. Disponível em: https://biblio.ugent.be/publication/1321863 Acesso em maio de 2020.

23-WILDERMUTH, B.E.; GRIFFIN, C. E.; ROSENKRANTZ, W.S. Response of feline eosinophilic plaques and lip ulcers to amoxicillin trihydrate–clavulanate potassium therapy: a randomized, double-blind placebo-controlled prospective study. Vet Dermatol. 2011, v. 23, p. 110-e25. Disponível em: https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/22132827/ Acesso em maio 2022.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

estresse

CRMV-BA alerta sobre os prejuízos dos fogos de artifício aos animais de companhia

gato com frio

Veterinário dá dicas para manter a saúde e bem-estar de cães e gatos durante o inverno