in

Atenção, veterinários: Boa anamnese é essencial para correto diagnóstico da sinusite

Doença pode ser desencadeada por diferentes fatores e seu tratamento dependerá da causa base

Desencadeada por traumas, bactérias, vírus, parasitas, neoplasias, corpos estranhos ou substâncias irritativas que são inaladas, doenças periodontais e, até mesmo, por fungos, a sinusite é uma inflamação do revestimento interno dos seios da face (também chamados de seios paranasais), que gera sintomas respiratórios. 

O médico-veterinário, consultor do setor da Unidade de Terapia Intensiva e coordenador do Pet Care Educa, Lucas de Angelis Cortes, comenta que, na rotina clínica das doenças respiratórias obstrutivas de vias aéreas anteriores, a sinusite não é a mais comum em cães, como a bronquite, mas ocorre com frequência, principalmente em animais alérgicos, com doenças periodontais e mais idosos. 

“Os sinais mais comuns são secreção nasal (que pode ser unilateral ou bilateral), espirros, espirros reversos, engasgos, halitose, epistaxes, sangramento nasal, distrição inspiratória, ruídos respiratórios, dor, apatia, perda de apetite, hipertermia e até deformidade da face, a depender da causa e da cronicidade do quadro”, explica Cortes.

Ele comenta que o problema pode acontecer em todas as fases da vida. “Em animais jovens, as causas são mais virais, alterações congênitas, inalação de substâncias ou corpos estranhos, ou por agentes infecciosos. Em cães de meia idade, as causas podem ser alérgicas, fungos ou doenças periodontais. Já nos idosos, pela baixa imunidade, podem ser por agentes infecciosos, neoplásicas e por alterações odontológicas secundárias”, completa.

O veterinário ainda cita que a sinusite e outras doenças de trato respiratório como um todo podem ter relação com doenças alérgicas de pele, alterações inflamatórias de trato gastrointestinal, infecciosas ou bacterianas e, principalmente, secundárias a doenças periodontais, pela comunicação oronasal.

Leia a reportagem na íntegra, gratuitamente, em nossa revista on-line. Clique aqui.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Médica-veterinária atua na linha de frente da pandemia e revela como foi a experiência

Médico-veterinário explica como os tutores de gatos devem lidar com a gripe felina

Animais ameaçados de extinção perdem espaço para o gado e soja, no Cerrado e na Amazônia

(Foto: C&G VF)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

peito escavado

Pets com peito escavado podem ter uma vida normal com acompanhamento profissional

mês das mulheres

CFMV faz um raio-x das mulheres brasileiras que atuam na Medicina Veterinária e na Zootecnia