in

Avert Saúde Animal traz seis importantes dicas de cuidado com animais idosos

Os primeiros sinais de envelhecimento são pelos esbranquiçados na região do focinho

Os pets estão cada vez mais longevos e, assim como os humanos, são impactados pelas mudanças que acontecem junto com o envelhecimento. Entender o processo e acolher os pets idosos é essencial para que eles possam usufruir da velhice com conforto, bem-estar e muito amor.

Os primeiros sinais de envelhecimento podem ser perceptíveis, como os pelos esbranquiçados na região do focinho e ao redor dos olhos, e a diminuição de energia do pet para algumas atividades rotineiras, como brincadeiras e passeios longos no caso dos cães.

Para assegurar uma velhice saudável e feliz para o pet, a médica-veterinária e gerente de Produtos de Nutrição da Avert Saúde Animal, Priscila Brabec, trouxe algumas dicas importantes para os tutores.

Envelhecimento traz diminuição de energia do pet para algumas atividades rotineiras (Foto: reprodução)

1 – Estreite os laços com o seu médico veterinário de confiança.

Com o passar dos anos, mudanças físicas e emocionais acontecem nos pets e, assim como os humanos, eles estão propensos a mais enfermidades. As visitas periódicas ao veterinário devem acontecer com maior frequência (a cada 6 meses), assim como a realização de exames.

2 – Cuide da nutrição do pet.

Uma dieta adequada para a idade associada a suplementos nutricionais específicos, podem ajudar a manter a saúde física e mental dos pets. Suplementos com antioxidantes como por exemplo, vitamina E, vitamina C e mineral selênio e também ácidos graxos essenciais, como ômega-3 (EPA e DHA), podem ajudar no combate aos radicais livres e auxiliar na função cerebral.

3 – Facilite os acessos do pet.

As articulações sofrem com a idade e a energia para pular no sofá ou na cama já não é a mesma. Se o pet tem o hábito de subir nesses lugares, facilite o seu acesso com uma pequena escada ou rampa específica para o pet, por exemplo. Facilitar o acesso à água tendo mais potes espalhados pela casa ajuda a manter o pet hidratado e evite “obstáculos” no caminho do pet.

4 – Atenção à novos integrantes

A energia e disposição já não são mais a mesma. Por isso, evite forçar a convivência com animais mais jovens ou mais agitados, uma interação forçada pode causar estresse e cansaço. Talvez este não seja o momento ideal para ter um novo pet em casa, e nem para forçar novas amizades.

5 – Cuidado com as mudanças

Os pets idosos são mais sensíveis às mudanças. Por isso, evite mudar o ambiente que o pet vive e se necessário, faça apenas pequenos ajustes para ajudá-lo nos acessos ao banheiro, caminha, alimento e água, por exemplo.

6 – Estimule atividades físicas e mentais.

Massagem, escovação, caminhadas e casa e passeios na rua são bastante benéficos e muito apreciados pelo pet em todas as épocas da vida. Criar uma rotina com o pet idoso respeitando o seu limite e tempo é importante para a saúde física e mental. Além disso, treinar alguns comandos como “sentar, “deitar” e investir em brinquedos interativos e comedouros lentos ajudam a estimular a mente do pet.

É claro que multiplicar o carinho, amor e paciência para cuidar dos pets idosos também faz parte dessa lista, assim como outras dicas importantes que podem ser encontradas no podcast da Avert, disponível no Spotify:  Avert Cast.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Veterinários comentam estratégias governamentais para controle da Raiva no Brasil

Maioria dos pets brasileiros foi adotada ou presenteada, de acordo com pesquisa

Biovet proporciona ao mercado Pet brasileiro “Vet para todos”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

primavera e os pets

Veterinária indica os cuidados específicos com os animais durante a primavera

atuações dos veterinários

Medicina Veterinária, enquanto profissão, permite que profissionais atuem em muitas áreas