in

AVES NECESSITAM DE VARIEDADES DE ALIMENTOS E SUPLEMENTAÇÃO

Segundo veterinária, dieta deve conter quantidades adequadas de carboidratos, lipídeos e proteínas

Segundo veterinária, dieta deve conter quantidades adequadas de carboidratos, lipídeos e proteínas

Se engana quem pensa que apenas os cães e os gatos disputam a atenção dos tutores no Brasil. De acordo com a última análise feita pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2018, o País possui a soma de 39,8 milhões de aves. O que levanta uma dúvida muito frequente entre os médicos-veterinários: é feita a alimentação adequada para estes animais?

Com isso, a médica-veterinária e analista de desenvolvimento de produtos pet da Vetnil, Bruna Colhado afirma que as aves precisam manter uma dieta balanceada e nutritiva. No entanto, a profissional explica que o erro mais comum entre tutores e criadores de aves domésticas é tratar os animais com alimentos não adequados para cada espécie, oferecendo apenas um único tipo de alimento, como mistura de sementes, o que não fornece todos os elementos necessários para a nutrição completa.

De acordo com a Bruna Colhado, para proporcionar uma vida saudável, é essencial respeitar as necessidades fisiológicas e anatômicas das aves, considerando as especificidades de cada uma. Para isso, uma dieta balanceada deve conter quantidades adequadas de carboidratos, lipídeos e proteínas, além de um completo perfil de aminoácidos, vitaminas e minerais.

Para ela, é muito importante que o foco em uma dieta balanceada seja ainda maior nas fases críticas de vida do animal, como crescimento, troca de penas e reprodução, fases que demandam maior quantidade de determinados nutrientes. Para esses momentos, Bruna recomenda que a dieta seja acompanhada de suplementos alimentares que contribuam para um melhor aproveitamento dos alimentos e redução de danos ao organismo provocados por situações de estresse.

A veterinária também relembra que a frequência de alimentação, influenciada pela idade da ave, também deve ser considerada. “Neonatos devem ser alimentados a cada 2 — 3 horas (com ração adequada para a espécie, misturada à água, formando a papinha). Conforme o crescimento, o intervalo entre as refeições tende a ficar maior, passando de 6 a 8 refeições diárias até chegar em 4, por volta dos 20 dias de vida”, afirma.

Bruna também salienta que alguns alimentos são terminantemente proibidos às aves, como o chocolate (causa alterações intestinais e neurológicas), alho e cebola (problemas digestivos), cafeína (distúrbios cardíacos), algumas sementes como as da maçã, damasco ou pêssego (contêm grande quantidade de cianeto, elemento altamente tóxico para as aves), feijão cru (contém fitohemaglutinina — altamente tóxica para aves), talos, folhas e sementes do tomate.

Com tudo e para auxiliar na qualidade de vida destes animais, a Vetnil conta com dois suplementos vitamínicos, o Hidrovit, um polivitamínico associado a aminoácidos e eletrólitos, que além de fornecer glicose como fonte energética, indicado para auxiliar na redução das perdas decorrentes de situações de estressem também é indicado para o aumento do ganho de peso inicial, evitando atraso no crescimento desses animais.

Há também o Organew,  um suplemento que reúne em sua formulação vitaminas, aminoácidos, FOS, MOS e leveduras vivas. Uma combinação que auxilia no desenvolvimento de uma microbiota intestinal saudável, proporcionando melhor digestibilidade dos alimentos e, consequentemente, aumento da eficiência alimentar. É indicado para animais em crescimento, ganho de peso, aumento da performance, estímulo do apetite, melhora na conversão alimentar e no desempenho reprodutivo. 

Fonte: A.I, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

NUTRIÇÃO PROMOVE FORTE IMPACTO NA RESPOSTA IMUNOLÓGICA DOS PETS

REPRODUÇÃO

COVID-19: VETOQUINOL CRIA COMITÊ DE CONTROLE EM PERÍODO DE QUARENTENA