in

Biodiversidade: Inventário da Fauna Cearense lista 1.287 espécies em todo o Estado

Material listou 140 mamíferos, 443 aves, 133 répteis, 57 anfíbios e 502 peixes

Representantes de entidades, pesquisadores, ambientalista e estudantes somaram mais de 230 participantes para acompanhar, no dia 26 de fevereiro, a solenidade virtual que marcou o lançamento do Inventário da Fauna do Ceará, primeiro produto do programa Cientista Chefe Meio Ambiente, da Secretaria do Meio Ambiente (SEMA) e da Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace), após o seu lançamento, em 04 de setembro de 2020. O evento on-line foi transmitido pelo canal do YouTube da SEMA, que superou a marca dos mil inscritos.

O Inventário foi elaborado pelos seguintes cientistas pesquisadores: Dra. Diva Borges Nojosa, da UFC (répteis); Dr. Hugo Fernandes Ferreira, da UECE (mamíferos terrestres); Dr. Daniel Cassiano, da UECE (anfíbios); Dr. Jorge Botero, da UFC, (peixes de água doce); Dr. Vicente Faria, da UFC (peixes marinhos); Dr. Weber Girão, da AQUASIS (aves); Dr. Vitor Luz, da AQUASIS (mamíferos marinhos). Na SEMA, contou o apoio da médica-veterinária Thaís Câmara Tavares, da Coordenadoria de Proteção e Defesa dos Animais (COANI). Na abertura, o professor Marcelo Soares, que está à frente da equipe Cientista Chefe do Meio Ambiente, junto com os professores Eduardo Barros e Renan Guerra, destacou as parcerias com entidades e com os cientistas responsáveis.

O professor Hugo Fernandes Ferreira foi responsável pela apresentação do Inventário e explicou que há pesquisas sobre a fauna cearense que remontam o século XVI, registrando o nome de naturalistas como Dias da Rocha – “o maior do Ceará” – e Melquíades Pinto Paiva. “A ideia do inventário surgiu após a demanda do Livro Vermelho, com a lista de espécies ameaçadas. A partir daí, reunimos informações para formalizar o Inventário”, informou Ferreira. O material listou 140 mamíferos (115 continentais e 25 marinhos), 443 aves, 133 répteis, 57 anfíbios e 502 peixes (400 marinhos e 102 continentais), num total de 1.287 espécies de animais no Ceará.

Em seguida, o reitor da UECE, Hidelbrando Soares, elogiou a ideia original e inovadora do cientista-chefe: “Está realizando um trabalho único no Brasil, unindo universidade e poder público para prestar o melhor serviços à população cearense”, declarou. Já o vice-reitor da UFC, Glauco Lôbo, lembrou dos animais extintos e da importância da iniciativa no aspecto da preservação. Luiz Drude, da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (FUNCAP), e que também representou a Secretaria de Ciência e Tecnologia (Secitece), disse que “o que chama a atenção, além da quantidade de pesquisas científicas produzidas no Ceará, é também a qualidade, alcançando publicações de todo o mundo”.

O superintendente da SEMACE, Carlos Alberto Mendes, aproveitou para destacar as negociações avançadas com o Ibama para Centro Triagem de Animais Silvestres (CETAS), em Fortaleza, além de outro no Cariri, com projeto quase finalizado, e a abertura de negociações com a Prefeitura de Fortaleza para construção de outro equipamento semelhante no Passaré.

Artur Bruno, titular da SEMA, lembrou que a ideia original da criação do Cientista Chefe Meio Ambiente foi da professora Oziléa Bezerra Menezes, do Labomar. “O Ceará é um Estado que valoriza a ciência. A prova disso é o Hub de Hidrogênio Verde lançado recentemente pelo governador Camilo Santana”. Bruno citou outros projetos do Cientista Chefe como um centro de reabilitação de tartarugas marinhas, o Atlas Marinho e laçou um desafio: o Inventário da Flora do Ceará.

Ideia é que o inventário auxilie na elaboração de políticas públicas para a conservação da biodiversidade (Foto: reprodução)

Inventário será constantemente atualizado. O Inventário da Fauna é uma iniciativa inovadora, no âmbito do Estado do Ceará e Nordeste, feita por pesquisadores da Universidade Estadual do Ceará (UECE), Universidade Federal do Ceará (UECE) e Associação de Pesquisa e Preservação de Ecossistemas Aquáticos (AQUASIS). Compila informações provenientes de trabalhos de campo, coleções e publicações científicas.

Os dados estarão disponíveis no site da SEMA com livre acesso e serão atualizados, on-line, pelos pesquisadores, à medida que ocorram novos registros de espécies. A ideia é que o inventário auxilie na elaboração de políticas públicas para a conservação da biodiversidade, estudos de biotecnologia e avaliação de impactos ambientais para empreendimentos.

O Cientista Chefe é um programa do Governo do Estado do Ceará, criado na atual gestão da Fundação Cearense de Apoio ao Desenvolvimento Científico e Tecnológico (Funcap), com o desejo de aliar a produção científica acadêmica com as necessidades do setor público, e, desta forma, proporcionar mais qualidade de vida para a população cearense.

Fonte: SEMA Ceará, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Pesquisadores colhem sêmen de onças do Pantanal para salvar populações isoladas

Tutores de pets devem entender que eles são para a vida toda e não só durante a quarentena

Tratamento e reabilitação: Zoológico de Sorocaba devolve 22 animais à natureza

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Pesquisadores colhem sêmen de onças do Pantanal para salvar populações isoladas

Corante artificial na ração chama atenção dos tutores, mas faz bem aos pets?