in

CÃES COM FOBIA A BARULHO CONTAM COM O AUXÍLIO DE NOVO MEDICAMENTO

Droga inibe a norepinefrina, composto químico do cérebro associado à ansiedade

Segundo estimativas, pelo menos 40% dos cães vivenciam ansiedade provocada por ruído, mais pronunciada durante o verão. Médicos-veterinários contam histórias de cães que se abrigam em esconderijos tão apertados que ficam entalados, que roem maçanetas de porta, que se jogam contra janelas ou correm em meio ao trânsito na tentativa de fugir aos choques inexplicáveis de barulho, que também pode ser de fogos de artifício.

Ernie, um braco alemão de pelo duro, ficava tão apavorado com as trovoadas que pulava as cercas da fazenda onde mora e corria quilômetros em linha reta. “É um verdadeiro distúrbio de pânico com uma resposta de fuga completa”, afirma a professora adjunta de comportamento animal da Faculdade de Medicina Veterinária da Universidade da Califórnia (Davis, Estados Unidos), Melissa Bain.

Ao longo dos anos, surgiram vários remédios para ansiedade ao barulho: fórmulas homeopáticas, feromônio calmante, CDs de trovoadas misturadas a Beethoven e roupas que limitam os movimentos. Mas neste mês, a primeira medicação aprovada pela agência norte-americana reguladora de alimentos e medicamentos, para aversão canina ao barulho (termo que engloba do desconforto médio à fobia) chegou ao mercado. A droga, Sileo, inibe a norepinefrina, composto químico do cérebro associado à ansiedade e à reação ao medo.

Alguns veterinários receitam sedativos fortes, mas ainda que a crise imediata seja evitada, a fobia existente continua sem ser tratada. Mesmo que a maioria das reações não seja tão extrema quanto à do cachorro que arranca as unhas raspando freneticamente a porta, muitos cães vão se agachar, andar a passos lentos e defecar dentro de casa.

Os gatos também podem ter aversão a barulhos, embora os relatos sejam menos comuns. Especialistas em comportamento animal dizem que os bichanos são mais independentes e contidos do que os cachorros, então quando eles se escondem debaixo da cama durante as tempestades, os donos podem não ver tal reação como incomum.

Fonte: UOL, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

FALTA DE MÉDICOS-VETERINÁRIOS NA CIDADE DE PORTO ALEGRE (RS) É TEMA DE AUDIÊNCIA PÚBLICA

CÃES DEVEM APRESENTAR DISCIPLINA DURANTE TREINAMENTO PARA TORNAREM-SE POLICIAIS