Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Cães com marcas faciais menos complexas são mais expressivos na comunicação

Estudo sobre a temática envolveu mais de 100 animais e seus tutores
Por Equipe Cães&Gatos
expressão facial
Por Equipe Cães&Gatos

Um grupo de investigadores do GW Primate Genomics Lab, nos Estados Unidos da América, revelou que os cães com pelagem de apenas uma cor na face ou sem marcas faciais aparentam fazer mais movimentos faciais e expressões quando interagem com os seus tutores do que cães com padrões ou várias cores em sua penugem facial.

Segundo explicado em comunicado, no estudo publicado na revista científica Animals foi, ainda, revelado que os indivíduos são bons a avaliar os níveis de expressividade dos seus cães. Apesar disso, os tutores com cães entre os dois e os sete anos de idade são mais precisos na avaliação se os seus cães possuírem pelagem de apenas uma cor

O estudo envolveu mais de 100 cães e os seus tutores. A equipe pediu a cada participante do estudo que registrasse os seus cães em quatro condições diferentes. Depois, por meio de um sistema de codificação padronizado chamado DogFACS, foi analisado o comportamento de cada animal e criado um sistema para avaliar marcas faciais e padrões nos rostos dos cães. Os participantes do estudo também foram solicitados para completar uma pesquisa que incluía vários dados demográficos sobre os animais e avaliava o quão bem o participante julgava as expressões do seu animal.

Foi analisado o comportamento de cada animal e criado um sistema para avaliar marcas faciais e padrões nos rostos dos cães (Foto: reprodução)

Outros destaques:

Os cães idosos aparentam ser menos expressivos em sua comunicação com os seus companheiros humanos, o que pode ser derivado de um relacionamento mais longo e bem estabelecido com o seu companheiro humano;

Os cães de trabalho ou cães altamente treinados mostram-se mais expressivos, uma vez que este tipo de relação exige uma comunicação fluente.

“À medida em que os cães se tornam cada vez mais integrados na sociedade humana, é importante que entendamos como eles se comunicam conosco e como podemos nos comunicar melhor com eles”, explica a principal autora do estudo, Courtney Sexton.

Fonte: Veterinária Atual, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Pesquisador da Fiocruz indica cuidados clássicos contra a leishmaniose

Feira veterinária discute uso medicinal de cannabis em pets no Brasil

Veterinária desvenda boatos negativos sobre os gatos

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!