Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

CÃES DETECTAM AS EMOÇÕES DOS HUMANOS POR MEIO DE SUAS EXPRESSÕES

CÃES DETECTAM AS EMOÇÕES DOS HUMANOS POR MEIO DE SUAS EXPRESSÕES Foram analisadas as reações a sentimento de medo, raiva, felicidade e outros
Por Equipe Cães&Gatos
Por Equipe Cães&Gatos

Foram analisadas as reações a sentimento de medo, raiva, felicidade e outros

- PUBLICIDADE -

Os cães podem ter a capacidade de entender as emoções levando em consideração as expressões faciais dos humanos. De acordo com um estudo recentemente publicado, os cães utilizam diferentes partes do cérebro para processar emoções, conseguindo entender os humanos. 

A investigação, realizada por cientistas da Universidade de Bari (Bari, Itália), analisou as reações de 26 cães às expressões faciais de pessoas que expressaram seis sentimentos básicas: raiva, medo, felicidade, tristeza, surpresa e repugnância. Quatro voluntários destros, dois homens e duas mulheres, com cerca de 33 anos de idade, foram fotografados enquanto posavam as seis emoções. Além disso, foi tirada uma imagem de uma expressão neutra, em que os sujeitos tiveram que relaxar e olhar para frente. 

Antes de serem retratados, os voluntários foram informados sobre o objetivo do estudo e o procedimento a ser seguido. Eles tinham que evitar maquiagem e tirar óculos, piercings e brincos que poderiam ser usados ​​por cães como uma dica para discriminar as diferentes expressões. 

Os resultados publicados mostram que os cães apresentaram maior atividade comportamental e cardíaca às imagens de humanos que expressavam estados emocionais mais alterados. No geral, os resultados ainda demonstraram que eles são sensíveis a sugestões emocionais demonstradas pela face humana, o que suporta a ideia de que existe uma modulação emocional assimétrica no cérebro canino para o processamento das emoções básicas dos humanos. 

Conheça a investigação em detalhe aqui. 

Fonte: Veterinária Atual, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Imagem demonstra as reações representadas pelos voluntários da pesquisa (Foto: divulgação)

Compartilhe este artigo agora no