in

CENTRO CULTURAL SPECIAL DOG DOA MAIS DE QUATRO MIL MÁSCARAS

Peças foram destinadas a entidades de Santa Cruz do Rio Pardo (SP)

Peças foram destinadas a entidades de Santa Cruz do Rio Pardo (SP)

O Centro Cultural Special Dog, braço social da fabricante de alimentos para cães e gatos Special Dog Company, apesar da pausa nas aulas por conta da necessidade do isolamento social, segue promovendo atividades em prol da comunidade de Santa Cruz do Rio Pardo (SP), cidade onde a empresa está sediada. Com a ajuda de 40 costureiras voluntárias, entre alunas dos cursos de corte e costura e voluntárias da comunidade, o Centro Cultural criou o projeto ‘Mãos Que Cuidam’ e está produzindo e doando máscaras de tecido para entidades e paróquias da cidade, além da Secretaria da Educação. Ao todo, mais de quatro mil peças já foram doadas.

Para a confecção das máscaras, as voluntárias receberam orientações da professora Kelce Bachiega por meio de um vídeo. As peças são recolhidas nas casas de cada uma e encaminhadas para doação. “Estamos utilizando o Tricoline, um tecido que pode ser lavado com água sanitária e passado, de acordo com recomendações da OMS”, conta a gerente Administrativa do Centro Cultural, Juliana Manfrim.

Entre as entidades que já foram beneficiadas, estão o Lar São Vicente de Paulo, Casa de Apoio Adelina Aloe, educandário O Lar da Criança, APAE (Associação de Pais e Amigos aos Excepcionais), Capela Santa Cruz, Casa das Imãs, Paróquia Nossa Senhora Aparecida, Paróquia Nossa Senhora das Graças e Rede do Câncer. Alunos e colaboradores do CCSD também já receberam algumas peças. “As confecções continuarão durante o período da pandemia. Estamos produzindo cerca de 900 máscaras por semana”, finaliza Juliana.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Diante da necessidade de integração entre o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) e o Conselho Nacional de Controle de Experimentação Animal (Concea), foi criado Grupo de Trabalho (GT) com o objetivo de mapear, analisar e sugerir a revisão ou a edição de legislação relacionada ao uso de animais em laboratórios nas atividades de ensino e pesquisa. Para organizar os trabalhos, o GT realizou sua primeira reunião dia 26 de maio e agendou o próximo encontro para o dia 10 de junho. O Concea é um órgão integrante do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, responsável por formular as regras para a utilização humanitária de animais com finalidade de ensino ou pesquisa científica, assegurando tratamento digno e ético. O GT do CFMV conta quatro membros do Concea, inclusive sua coordenadora, a médica-veterinária Ekaterina Akimovna Botovchenco Rivera. Bem-estar animal. Para propor diretrizes de regulamentação relacionadas ao bem-estar animal, o CFMV recriou a Comissão Nacional de Bem-Estar Animal (Cobea), que também deverá revisar e propor a atualização e harmonização da legislação sobre o tema. A comissão ainda deverá apresentar posicionamento técnico e analisar demandas e necessidades dos Conselhos Regionais de Medicina Veterinária (CRMVs). Relacionamento político. Para assessorar a diretoria e a plenária, o CFMV recriou, ainda, a Câmara Técnica de Medicina Veterinária. Seu papel é político-institucional, propondo políticas de atuação profissional e regulamentações relacionadas ao ensino da Medicina Veterinária. O grupo tem, além disso, a missão de sugerir a formalização de parcerias com entidades públicas ou privadas, nacionais e internacionais, relacionadas à Medicina Veterinária. Fonte: CFMV, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

CFMV E CONCEA CRIAM GRUPOS TÉCNICOS DE TRABALHO ESPECIALIZADO

REPRODUÇÃO

ANTI-INFLAMATÓRIOS VETERINÁRIOS PODEM RETARDAR O NOVO CORONAVÍRUS