Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Inovação e Mercado

CFMV faz alerta sobre mutirões de castração em situações de desastre em massa

Durante o cenário de tragédia que atinge o RS, muitos profissionais ficam em dúvida sobre como agir
Por Equipe Cães&Gatos
castrações e resgates
Por Equipe Cães&Gatos

Em situações de desastre em massa, como catástrofes naturais ou emergências humanitárias, é crucial priorizar intervenções que garantam a segurança e o bem-estar dos seres humanos e dos animais afetados. No entanto, é importante ressaltar que certas práticas, como mutirões de castração, podem representar riscos significativos para os animais e para a eficácia das operações de socorro.

Em meio ao desastre por qual passa o estado do Rio Grande do Sul, os abrigos de animais estão lotados e a preocupação com a reprodução descontrolada, assim como com acidentes por agressão são questões que devem ser avaliadas com cautela.

Ciente desta situação e com informações que estão sendo repassadas por médicos-veterinários na linha de frente do cuidado com os animais, o Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV) alerta para os seguintes pontos:

Antes de realizar qualquer procedimento cirúrgico, é fundamental garantir que haja recursos e infraestrutura adequados (Foto: Reprodução)

Riscos associados aos mutirões de castração em situações de desastre:

  • Condições de emergência desfavoráveis: em meio a uma crise, as condições de higiene e segurança podem ser comprometidas, aumentando o risco de complicações durante procedimentos cirúrgicos, especialmente naqueles considerados eletivos;
  • Escassez de recursos e infraestrutura: os recursos médicos, materiais e humanos necessários para realizar cirurgias de castração podem estar limitados em situações de desastre, o que compromete a qualidade e segurança dos procedimentos e ainda podem fazer falta para procedimentos de urgência e emergência que outros pacientes necessitem;
  • Avaliação individual das condições dos animais: cada animal é único e pode apresentar condições de saúde pré-existentes que aumentam o risco de complicações durante a cirurgia. A condição de avaliação clínica em casos de desastres também pode ficar prejudicada, devido à precariedade do ambiente. Realizar mutirões sem uma avaliação adequada pode expor os animais a procedimentos cirúrgicos desnecessários e potencialmente perigosos e caracterizar imprudência profissional;
  • Necessidade de consentimento informado: Em qualquer situação, inclusive em situações de desastres em massa, é fundamental obter o consentimento informado do responsável legal pelo animal antes de realizar qualquer intervenção cirúrgica. A falta desse consentimento pode resultar em repercussões legais e éticas.

Recomendações técnicas:

É importante ressaltar que certas práticas, como mutirões de castração, podem representar riscos significativos para os animais e para a eficácia das operações de socorro (Foto: Reprodução)
  • Priorizar intervenções de socorro urgentes: em situações de desastre em massa, é crucial priorizar intervenções que atendam às necessidades imediatas de saúde e segurança dos seres humanos e dos animais afetados;
  • Avaliação individual por médicos-veterinários: os médicos-veterinários devem avaliar individualmente cada animal para determinar se a castração é uma intervenção necessária e segura e se dispõe de meios adequados mesmo em situação de desastre, não permitindo a  interferência de pessoas leigas em seus trabalhos e julgamentos profissionais;
  • Garantir infraestrutura e recursos adequados: antes de realizar qualquer procedimento cirúrgico, é fundamental garantir que haja recursos e infraestrutura adequados disponíveis para garantir a segurança e o bem-estar dos animais;
  • Obter consentimento informado: para realização de procedimento cirúrgico,  deve-se obter o consentimento informado do responsável legal pelo animal antes de realizar o procedimento, mesmo em situações de desastre. Exceção é feita apenas para os casos de iminente risco de morte ou de incapacidade permanente do paciente, onde médico-veterinário deve:

I – proceder ao atendimento e à intervenção independentemente do prévio consentimento e autorização;

II – registrar no prontuário todas as informações relacionadas à eventual recusa de consentimento ou autorização ou impossibilidade de obtenção.

  • Seguir o Plano Nacional de Contingência de Desastres em Massa Envolvendo Animais: desde 2021 o CFMV disponibiliza material com uma série de recomendações técnicas para a atuação profissional em situações de desastre, disponível neste link.

O CFMV alerta que mutirões de castração em meio a situações de desastre em massa representam riscos significativos para a saúde e o bem-estar dos animais, bem como para a eficácia das operações de socorro. Portanto, é fundamental que os profissionais envolvidos nessas situações priorizem intervenções que atendam às necessidades imediatas de saúde e segurança dos seres humanos e dos animais afetados, sempre sob a orientação de médicos-veterinários e com o consentimento informado do responsável legal pelo animal.

Fonte: CFMV, adaptado pela Equipe Cães e Gatos.

LEIA TAMBÉM:
Veterinários do Paraná atendem animais resgatados no Rio Grande do Sul
Empresas se mobilizam em apoio às vítimas das enchentes no RS
ONG idealizada por fotógrafo ajuda pessoas e pets em situação de rua

Compartilhe este artigo agora no