in

CIDADE DE SÃO PAULO POTENCIALIZA COMBATE À ESPOROTRICOSE

Notificação compulsória sobre a zoonose passar a ser necessária

Notificação compulsória sobre a zoonose passar a ser necessária

Em contínua proliferação, esporotricose passe a ser de notificação compulsória na cidade de São Paulo, como alerta o Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado (CRMV-SP). Informação foi compartilhada no site oficial da instituição no dia 09 de dezembro (quarta-feira).

De acordo com o Conselho, a decisão tomada na Capital Paulista, além pontuar os casos envolvendo cães e gatos, também fala em notificação para a confirmação em humanos. A regra “consta na Portaria nº 470/20 da Secretaria Municipal de Saúde, publicada em 1º de dezembro no Diário Oficial do Município”..

“Segundo a norma, uma vez confirmada a doença em animais, os médicos-veterinários devem fazer a comunicação formal dentro do prazo de até sete dias após o diagnóstico, junto às Unidades de Vigilância em Saúde (UVIS) da região de ocorrência do caso”, informa o CFMV-SP.

A recente iniciativa está relacionada ao aumento da incidência da doença na cidade, observado desde 2011. “Pesquisadores apontam se tratar de uma zoonose em franco crescimento e ainda negligenciada pelo setor público”, enfatiza a presidente da Comissão Técnica de Saúde Pública Veterinária do CRMV-SP, Adriana Maria Vieira Lopes.

Par o conselheiro do Regional e médico-veterinário dermatologista, Carlos Eduardo Larsson, a “doença humana perdeu sua característica de ruralidade e hoje é, principalmente, urbana”, o que exige a tomada de decisão.

Para saber mais, acesse a portaria de 470/20, clicando aqui.

Fonte: CRMV-SP, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

TERAPIA ASSISTIDA: FRONTLINE E ROYAL CANIN APOIAM CAMPANHA DO IBETAA

CRIPTOSPORIDIOSE EM COELHOS: QUAL A IMPORTÂNCIA AOS HUMANOS?