in

COM A CHEGADA DO DIA DAS CRIANÇAS, CRMV ALERTA SOBRE ADOÇÃO CONSCIENTE

De forma impulsiva, ato pode colaborar para o crescente número de abandono

De forma impulsiva, ato pode colaborar para o crescente número de abandono

Com a chegada do Dia das Crianças, é comum famílias presentearem os pequenos com pets, comumente cães e gatos. No entanto, esse pode ser é um ato impulsivo que resulta em abandono ou devolução do animal, o que fomenta o ascendente número de casos no Brasil, que segundo os dados da Organização Mundial de Sáude, já são mais de 20 milhões o número de cães e mais de 10 milhões de gatos em situação de rua.

De acordo com o médico-veterinário e presidente da Comissão Técnica de Clínicos de Pequenos Animais do CRMV-SP, Thomas Faria Marzano, a adoção de um animal é um ato admirável de amor, porém o problema é a falta de planejamento familiar antes de adotar ou até mesmo comprar um animal. Sendo de extrema necessidade que os futuros tutores levem em conta algumas questões, como a rotina familiar, estilo de vida e quem cuidará da limpeza e alimentação do pet.

Segundo a médica-veterinária e presidente da Comissão Técnica de Bem-estar Animal do CRMV-SP, Cristiane Schilbach Pizzutto, existem diversos aspectos a serem considerados antes da introdução de um pet na família, entretanto o mais importante é serem atendidas as necessidades do animal. “A pessoa tem um espaço adequado para o animal fazer exercícios, conhece as necessidades de alimentação e de passeios diários, no caso de cachorro? A família deve estar ciente também com relação à boa prática de manejo e de higiene. É preciso lembrar de que os cuidados continuam depois que passa o momento de euforia da chegada do pet na casa”, enfatiza.

“A guarda responsável e o bem-estar dos animais são fundamentais, portanto, é preciso que as campanhas de conscientização sejam intensificadas. Animais não são objetos e não podem ser tratados como tal. Por isso, não se deve presentear alguém com um animal como se isso não fosse trazer consequências, como despesas e a necessidade de se dispor de tempo”, alerta a veterinária.

Outra questão que Thiago Marzano levanta, ainda mais importante ao pensar na adoção animal, é que os animais são seres sencientes. O que faz com que sejam capazes de sentir e vivenciar sentimentos, como alegria, dor, angústia, raiva e solidão, dando ainda mais força para que a guarda responsável seja enfatizada. “A devolução ou simplesmente o abandono causam um desequilíbrio no animal. Ele sente a perda da família e, em alguns casos, acaba ficando sem vontade de se alimentar ou brincar, podendo até ficar doente”, ressalta o especialista.

A adoção sempre será um ato nobre, no entanto, ao fazê-la, seja consciente.

Fonte: CRMV, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ESPECIALISTAS RESPONDEM DÚVIDAS FREQUENTES SOBRE NUTRIÇÃO PET

ESPECIALISTA ALERTA SOBRE ALIMENTAÇÃO INADEQUADA E OBESIDADE EM PETS