Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Inovação e Mercado

CRMV-RS apresenta documento sobre tragédia climática no RS no Fórum Mundial de Saúde Animal

Ações de apoio ao Estado do Rio Grande do Sul tem se intensificado para garantir os atendimentos aos atingidos e a recuperação das cidades
Por Equipe Cães&Gatos
relatório clima
Por Equipe Cães&Gatos

O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Rio Grande do Sul (CRMV-RS) levou ao Fórum Mundial de Saúde Animal, organizado pela Organização Mundial de Saúde Animal (OMSA), realizado na França na semana passada, um documento de extrema importância sobre a tragédia climática que assola o Estado gaúcho. Mauro Moreira, presidente do CRMV-RS, apresentou os dados alarmantes e solicitou apoio internacional para enfrentar os desafios decorrentes dessa crise.

- PUBLICIDADE -

O documento foi entregue ao delegado permanente do Brasil na OMSA, Marcelo Andrade, e descreve a calamidade enfrentada pelo Rio Grande do Sul. Segundo os dados divulgados pela Defesa Civil até 25 de maio de 2024, quando o documento foi apresentado no evento que celebrava o 100˚ aniversário da OMSA, havia 469 municípios afetados, mais de 79 mil pessoas em abrigos, mais de 538 mil foram desalojadas e mais de 12 mil animais resgatados.

“Iremos construir diretrizes que terão o olhar da equipe técnica da OMSA com a ajuda do chefe-adjunto do Departamento de Status da OMSA, Manoel Tamassia, que foi um dos responsáveis por elaborar o plano de enfrentamento ao desastre causado pelo furacão Katrina, ocorrido em 2005, nos Estados Unidos”, destacou Mauro Moreira, ao destacar a importância da parceria da organização mundial para o Estado gaúcho.

Desde o início da tragédia, as classes médico-veterinária e zootécnica do Estado têm trabalhado incansavelmente, muitas vezes de forma voluntária (Foto: Divulgação)

No documento, Mauro Moreira reforça a necessidade de união de esforços para chamar a atenção do mundo quanto à problemática dos animais desfavorecidos. “É imprescindível o apoio desta Organização, considerando sua magnitude e atuação com mais de 180 países filiados, os quais têm a preocupação com a segurança das questões sanitárias e o combate às doenças dos animais”, disse Moreira na carta aberta.

O dirigente também ressaltou a importância da Medicina Veterinária como parte da Saúde Única, que tem a obrigação de contribuir de forma organizada com os diversos atores que trabalham para enfrentar os complexos desafios de saúde vividos pela sociedade. “A saúde e o bem-estar das pessoas, dos animais e de todo o ecossistema estão interligados e dependem de parcerias eficazes e sustentáveis entre profissões, disciplinas e sociedades”, sustentou Moreira.

Desde o início da tragédia, as classes médico-veterinária e zootécnica do Estado têm trabalhado incansavelmente, muitas vezes de forma voluntária, para prover o bem-estar animal e social nos abrigos improvisados. “A grande maioria desses profissionais está trabalhando de forma voluntária, não medindo esforços para prover o bem-estar animal e social nos abrigos improvisados e necessitam de recursos financeiros para reerguer suas vidas e continuar prestando os cuidados e suporte necessário aos animais”, disse Moreira.

O presidente do CRMV-RS solicitou uma “NOTA” requerendo ao governo federal, estadual e municipal uma atenção especial e imediata, além do direcionamento de recursos financeiros aos profissionais que estão atuando diuturnamente para dar suporte e segurança na causa do bem-estar animal.

Fonte: CRMV-RS, adaptado pela Equipe Cães e Gatos.

LEIA TAMBÉM:
Ansiedade de separação nos pets: Como identificar?
Entenda quais doenças podem atingir animais resgatados das enchentes
Por meio de tecnologia e IA, projeto transforma reações de cães em previsão contra terremotos

Compartilhe este artigo agora no