in

Cuidados com a saúde felina nos dias de temperatura amena vão além de evitar doenças comuns

Nos dias frios, os gatos costumam dormir mais, mas o tempo de sono não deve interferir no apetite

Da mesma forma que os humanos precisam cuidar da saúde para evitar doenças comuns nos dias de temperatura mais amena, como um resfriado, é esperado que os felinos apresentem sinais clínicos da tão comum rinotraqueíte viral felina. Isso acontece porque, uma vez portadores dos agentes causais da doença, eles não conseguem eliminar o agente e, em situações de imunossupressão, o vírus tem a chance de reativar a infecção, levando a sinais clínicos, principalmente respiratórios.

Mas a atenção com a saúde dos felinos no inverno deve ir além das doenças do trato respiratório. As doenças musculoesqueléticas, em especial a doença articular degenerativa e a osteoartrite, podem afetar até 92% dos gatos com idade igual ou superior a 12 anos e, apesar dos gatos não apresentarem sinais clínicos evidentes, nos dias frios eles sofrem com dor e inflamação e sutilmente mudam seu estilo de vida.

As consequências disso são: maior risco de constipação e/ou doenças do trato urinário inferior devido à menor mobilidade, e relutância em acessar as vasilhas de água e caixas de areia para sanar as necessidades básicas. Além disso, devido a diminuição de atividade física, tendem a ganhar mais peso.

Nos dias frios, os gatos costumam dormir mais, mas o tempo de sono não deve interferir no apetite. O animal não deve ficar letárgico, diminuir sua higienização, deixando os pelos feios e emaranhados, nem relutar em interagir com o tutor. Qualquer comportamento anormal deve ser investigado por um médico-veterinário.

Gatos que estão acostumados a ter acesso a ambientes externos podem sofrer mais, pois ficam expostos a baixas temperaturas e ventos, tendo como consequência uma predisposição à hipotermia. Quando colocados dentro de casa, esses animais podem sofrer com o estresse ou comprometer a boa convivência com o tutor pela dificuldade de adaptação e por ficarem longos períodos reclusos. 

Leia aqui o artigo completo, disponível gratuitamente na edição de agosto da C&G VF.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD.

(Foto: C&G VF)

LEIA TAMBÉM:

Pets exóticos exigem cuidados diferentes dos tutores comparados a cães e gatos

CRMV-SP recebe indicações para prêmios que homenageiam veterinários e zootecnistas

Pesquisa revela que Shih-tzu é a segunda raça de cães mais querida do Brasil

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vacina raiva

Secretaria de Estado de Saúde do Rio de Janeiro divulga informe sobre profilaxia da raiva humana

dia gato

Veterinário destaca cinco cuidados que todo tutor de gato deve ter para ofertar saúde e bem-estar