in

DADOS DO MERCADO DE SAÚDE DE PETS EM 2016 SÃO DIVULGADOS PELA COMAC

Apesar de dificuldades econômicas, setor está em evolução

Apesar de dificuldades econômicas, setor está em evolução

Em um período que grandes mercados sofreram momentos de recessão econômica, o segmento de saúde animal, especificamente o de cães e gatos, não foi diferente.

O mercado de saúde pet fechou o ano passado com um crescimento de 8% em relação a 2015. Este número representa uma freada histórica para o setor que vinha mantendo uma média de 18% em taxa composta, de 2010 a 2015. “Vínhamos crescendo ano a ano a uma taxa alta, entretanto o ano de 2016 representou um grande desafio para nós”, afirma o médico-veterinário, coordenador do Infopet, da Comissão de Animais de Companhia (Comac), do Sindicato Nacional da Indústria de Produtos para a Saúde Animal (Sindan), e também diretor da unidade de Negócios Pet da Ceva Saúde Animal (Paulínia/SP), Leonardo Brandão. 

Em 2016, o bom desempenho de algumas categorias de produtos, como ectoparasiticidas (11.6%), endoparasiticidas (12%) e terapêuticos (21%) garantiram o crescimento no setor.

setor pet

Para este ano, a expectativa é de que o setor volte ao seu ritmo de crescimento acima de dois dígitos (Foto: reprodução)

Com o mercado menos favorável, toda a cadeia (lojistas, distribuidores e indústrias) é desafiada a aprimorar sua capacidade de gestão, o que inclui corte de gastos, gestão de estoques e atenção às margens de lucro, por exemplo. “Um ano de dificuldades econômicas faz com que todos tenham que se esforçar mais e abre espaço para as melhores práticas gerenciais, o que traz mais qualidade ao setor”, complementa Brandão. 

Apesar dos números, esse não é um mercado em involução. Muito se tem falado sobre as infinitas oportunidades que o mercado pet proporciona, por conta do relacionamento cada vez mais próximo entre humanos e animais. A Comac e diversas instituições do setor estão sempre esforçando para conscientizar os tutores de seu papel nos cuidados com a saúde dos animais, que hoje são considerados parte da família. 

Para este ano, a expectativa é de que o setor volte ao seu ritmo de crescimento acima de dois dígitos. “Em breve, teremos dados substanciais de 2017 e conseguiremos traçar uma tendência mais assertiva para o mercado”, completa Brandão.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ABINPET LEVA DEZ EMPRESAS BRASILEIRAS À EDIÇÃO DESTE ANO DA ZOOMARK

ATENDIMENTO DE SEPSE DEVE SER REALIZADO DE FORMA PRECOCE EM PETS