in

DIFERENCIAR EMERGÊNCIA DE URGÊNCIA PODE GARANTIR A SOBREVIDA DE FELINOS

Protocolos e conhecimento de características fisiológicas auxiliam o clínico

Um estudo multicêntrico, realizado pelo gerente de Pacientes Graves do Intensivet Veterinary Consulting, Rodrigo Cardoso Rabelo, em 2008, em hospitais brasileiros, espanhóis e portugueses, constatou, após analisar 101 gatos, que cerca de 20% deles chegaram à emergência por algum tipo de trauma. O restante, ou seja, mais de 80% dos animais (96 gatos), foi encaminhado à emergência por problemas clínicos, principalmente as doenças do trato-urinário, como as obstruções uretrais e a insuficiência renal aguda. 

As emergências são um tipo de atendimento que não se tem como evitar. Na rotina clínica, sempre aparecem algumas delas e, pelo menos, o atendimento inicial, até se estabilizar o animal para ser encaminhado ao hospital, é preciso que qualquer médico-veterinário saiba como conduzir. 

A reportagem de capa da edição de março da Cães&Gatos VET FOOD mostra como o profissional deve estar pronto para este tipo de ocorrência. Confira aqui.

capa

Confira a reportagem completa na edição nº 211 da Cães&Gatos VET FOOD, em revistacaesegatos.com.br

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CURSO DE EMERGÊNCIAS CARDIOVASCULARES TEM A PARTICIPAÇÃO DA TOTAL ALIMENTOS

ALERGIA ALIMENTAR PODE SE MANIFESTAR DE DUAS FORMAS EM CÃES