Cães e gatos logo

Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Clínica e Nutrição

Ehrlichiose possui três diferentes fases de estágio nos cães

Pacientes também podem sofrer aplasia medular eritróide secundária à doença
Por Equipe Cães&Gatos
doente
Por Equipe Cães&Gatos

A ehrlichiose canina, observada na rotina clínica de pequenos animais, é causada por uma bactéria da ordem Rickettsiales, família Anaplasmataceaee, gênero Erlichia. A espécie E. canis é a principal causadora da doença e tem como sua principal transmissora a picada do carrapato da espécie Rhipicephalus sanguineus. 1-5

Essa doença possui 3 diferentes fases de estágio, sendo elas aguda, subclínica ou crônica. Na fase crônica pode haver deposição de imunocomplexos em diversas regiões e alguns distúrbios observados são os neurológicos por conta da vasculite generalizada. Um dos possíveis achados hematológicos é a anemia arregenerativa, podendo ser secundária a um quadro de hipoplasia ou aplasia medular, e associar-se a pancitopenia em sangue periférico, estando relacionada à mortalidade dos pacientes acometidos pela ehrlichiose.1,3

Dentre as terapias instituídas para tratamento da aplasia medular, pode ser utilizado o fármaco Decanoato de nandrolona, anabolizante que estimula o crescimento e a resistência celular, na tentativa de resposta terapêutica 6
Leia o artigo completo em www.revistacaesegatos.com.br

Referências
¹ GARCIA, Danitiele Almas. MARTINS, Karoline Pires. Cortezi, Alessandra Maria. GOMES, Deriane Elias. Erliquiose e Anaplasmose Canina – revisão de literatura. São José do Rio Preto-SP, ano de 2018
² MYLONAKI, Mathios E. HARRUS, Shimon. BREITSCHWERDT B, Edward. An update on the treatment of canina monocytic ehrlichiosis (Ehrlichia canis). – Thessaloniki, Greece. Publicado em The Veterinary Journal 246 (45-43), ano 2019.
³ARMANDO, Catherine. Ehrlichiose canina: revisão de literatura. Repositório do Instituto Butantan, fev, 2022.
4 BORIN, S. CRIVELENTE, L.Z. FERREIRA, F.A. Aspectos epidemiológicos, clínicos e hematológicos de 251 cães portadores de mórula de Ehrlichia spp. naturalmente infectados – vol. 61, n.3, p.566-571, ano de 2009.
5 OLIVEIRA, Débora; IBANEZ, José. Uso de decanoato de nandrolona (Deca-Durabolin ®) como estimulante da proliferação óssea em fratura de úmero com união retardada. Brazilian Journal of Animal and Environmental Research, v. 3, n. 4, 3503-3507, nov/2020.

6 PEREZ, Regina Raquel et al. A ação do decanoato de nandrolona (Deca-durabolin®) sobre parâmetros hematológicos e proteína total plasmática de ratos (Rattus rattus) com depressão medular induzida após administração de sulfato de vincristina (Oncovin®). Ciência Rural [online]. 2005, v. 35, n. 3

Compartilhe este artigo agora no