in

Escovação dos dentes dos animais de estimação não é frescura, é prevenção

CRMV-SP reforça a importância dos cuidados com a saúde bucal dos pets

O Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP) alerta para a importância dos cuidados com a saúde bucal dos pets. O simples hábito de escovar os dentes ajuda a evitar sérias infecções que podem, inclusive, comprometer a vida dos animais.

A escovação diária dos dentes, aliada a consultas periódicas ao médico-veterinário, é uma medida preventiva importante para a saúde do animal, como explica o médico-veterinário Leonel Rocha, conselheiro do CRMV-SP. “Quando a gente fala que a saúde começa pela boca, a saúde literalmente começa pela boca!”.

A periodontite é a doença mais frequente em pequenos animais e acomete de 70% a 80% dos cães. “Cães pequenos têm dentes e raízes grandes. Muita raiz e pouco osso os deixam mais vulneráveis a doenças periodontais”, observa Rocha. 

A detecção e o tratamento precoces são essenciais, porque a doença periodontal avançada pode causar graves problemas, além de provocar dor. “Outros problemas de saúde podem ser encontrados em associação com a periodontite, como alterações renais, hepáticas e musculares do coração”, alerta o presidente da Comissão Técnica de Clínicos de Pequenos Animais do CRMV-SP, Marcio Thomazo Mota.

Periodontite é vilã da saúde. Provocada pela presença de placas bacterianas, a doença periodontal se caracteriza pela alteração na estrutura da gengiva e dos tecidos de sustentação dos dentes, mostrando-se uma vilã na manutenção da saúde geral dos pets. 

Mota explica que a doença começa com a placa que se torna tártaro. “A placa bacteriana e o tártaro abaixo da linha gengival são prejudiciais e estabelecem o cenário para infecções e danos à mandíbula e aos tecidos que conectam o dente ao osso maxilar”, discorre.

No que se refere aos sintomas, Leonel Rocha afirma que o mau hálito nos pets não deve ser considerado algo normal, mas um sinal de que existe algum problema. “A gengivite – aquela linha vermelha acima dos dentes, a retração da gengiva e secreção na boca do animal também demonstram que pode haver algo errado”, salienta.

Além desses sintomas, o médico-veterinário Marcio Thomazo Mota orienta que os tutores verifiquem os seguintes sinais: dentes quebrados ou soltos; dentes extras ou dentes de leite retidos; dentes descoloridos ou cobertos de tártaro; mastigação anormal ou comida caindo da boca; excesso de baba; apetite reduzido ou recusa em comer; dor dentro ou ao redor da boca; sangramentos bucais; inchaço nas áreas ao redor da boca.

Alguns cães e gatos podem ficar irritados quando têm problemas dentários, mas, no geral, eles não costumam demonstrar que estão com dor. “Isso porque, na vida selvagem, se os animais demonstram que estão com dor podem virar uma presa ou se mostrarem sinal de fraqueza podem ser isolados do bando”, esclarece Rocha. Por isso, é fundamental ficar atento ao pet e, ao menor sinal de problema, marcar uma consulta com o médico-veterinário.

A periodontite é a doença mais frequente em pequenos animais e acomete de 70% a 80% dos cães (Foto: reprodução)

Prevenção e tratamento. A melhor forma de prevenção é a escovação. O médico-veterinário Leonel Rocha diz que se o processo de escovar o dente do pet for difícil, então deve ser feita a profilaxia oral com um profissional de Odontologia Veterinária. “A limpeza supragengival deixa um aspecto bonito, mas o mais importante é a limpeza para tratar as bolsas periodontais, onde se acumulam alimentos”, explica. 

Exames de raio-X podem ser necessários para determinar a gravidade da doença. Quando o pet passa por um tratamento periodontal, isso não minimiza apenas desconfortos ou mau hálito, mas aumenta a longevidade do animal. “Animais que têm a saúde oral em ordem vivem mais”, enfatiza o conselheiro do CRMV-SP.

O médico-veterinário Marcio Thomazo Mota pontua algumas medidas preventivas relacionadas à saúde bucal dos pets:

Escovação: escove os dentes todos os dias com creme e escova dental específicos para animais. Se esse processo for novo para o pet, certifique-se de introduzi-lo gradualmente e fornecer recompensas e reconhecimento.

Ração seca dentária: alimente o pet com uma dieta dentária, que incentiva a mastigação, o que ajuda a desalojar a placa bacteriana. Para saber a dieta dentária mais indicada para o animal, procure orientação de um médico-veterinário.

Petiscos: ofereça ao animal alguns petiscos que estimulam a mastigação e a produção de saliva saudável, ajudando a remover a placa bacteriana.

Brinquedos: os brinquedos de borracha para mastigar duram muito mais tempo do que o petisco e a mastigação é a chave para ajudar a desalojar a placa.

Exames dentários regulares: certifique-se de visitar o médico-veterinário para exames dentários regula regulares. Eles são vitais para manter o controle da saúde geral do pet.

Fonte: CRMV-SP, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Projetos se destacam no interior de São Paulo por proteger animais e a Mata Atlântica

Estudo defende que tamanho e formato do corpo do cão podem indicar risco de tumor ósseo

CRMV-SP: Chapa Integração é eleita com 63,6% dos votos e assume o regional em agosto

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Médica-veterinária tem palestra interrompida por “sons de primata”

Lockdown também pode afetar a qualidade de vida dos animais de companhia