Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Clínica e Nutrição

Esperança de vida dos cães e dos gatos quase duplicou nas últimas quatro décadas

Mudança para alimentos de alta qualidade tem forte impacto na longevidade dos animais
Por Equipe Cães&Gatos
alimento
Por Equipe Cães&Gatos

A esperança de vida dos cães quase duplicou nas últimas quatro décadas, enquanto os gatos domésticos vivem, agora, o dobro dos seus pares selvagens. A conclusão é da análise “Pet longevity: lengthening the life span of our furry companions”, promovida pela Allianz Global Investors (Allianz GI).

“Embora o [recentemente falecido cão português mais velho do mundo, com 31 anos] Bobi e [o gato com 27 anos] Flossie sejam claramente excepcionais, há uma tendência evidente para uma expectativa de vida média cada vez maior dos animais de companhia”, explicam Christian Zilien, CFA, especialista em produto ações, e Oleksandr Pidlubnyy, CFA, CFDS, gestor de carteiras em ações temáticas, da Allianz GI.

A análise aponta que a esperança de vida aumentou impulsionada, principalmente, por uma mudança para alimentos de alta qualidade, cuidados de saúde idênticos aos dos humanos, uma adoção crescente de diagnósticos preventivos e uma maior sensibilização para as visitas regulares ao médico veterinário.

Mais cuidados com a saúde dos animais impacta positivamente o tempo de vida (Foto: reprodução)

O relatório nota, por exemplo, que nos EUA, enquanto em 2012, apenas 41,6% dos cães e 46,1% dos gatos possuíam mais de 7 anos, em 2022 o valor cresceu para 52,4% e 51,7%, respectivamente.

Como consequência, estão aumentando as avaliações nutricionais para criar perfis individuais e dietas adequadas, especialmente para animais de companhia mais velhos. Cerca de um terço dos gatos com mais de 12 anos têm diminuição da digestibilidade da gordura e cerca de um quinto dos gatos com mais de 14 anos apresentam digestibilidade proteica reduzida.

A análise aponta três principais razões para este crescimento da longevidade dos animais:

  • Mudança de paradigma no papel dos tutores, com:
  • 69% dos tutores norte-americanos dispostos a aumentar as despesas veterinárias se tal significar mais anos de vida;
  • 465 dos tutores europeus dispostos a pagar um premium por uma nutrição melhor e entre 35% e 40% a considerar pagar um premium por alimentos de alta qualidade;
  • Número de animais de companhia com seguro na América do Norte aumentou de 4,4 milhões em 2021 para 5,36 em 2022, um crescimento anual médio de 21,7%.
  • Aposta na qualidade pelo mercado, com maior número de suplementos e alimentos destinados a necessidades nutricionais específicas;
  • Maior rapidez e eficiência na tomada de decisões clínicas.

Fonte: Veterinária Atual, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Serviços veterinários não devem entrar em promoções de Black Friday

Obesidade em pets brasileiros atinge níveis preocupantes

Entenda porque os cães podem morder os próprios donos

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!