in

ESPOROTRICOSE É CONSIDERADA UMA GRANDE PROBLEMÁTICA NO PAÍS

Rio de Janeiro já está sendo taxado de hiperendêmico para a doença felina

Rio de Janeiro já está sendo taxado de hiperendêmico para a doença felina

O Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas (INI), da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz, Rio de Janeiro/RJ), registrou, nas duas últimas décadas (1998-2015), 4.703 casos de esporotricose felina. A mesma instituição identificou 4.188 casos humanos, de 1997 a 2011, além da infecção em 244 cães, de 1998 a 2014, somente no Rio de Janeiro, Estado que, atualmente, é considerado hiperendêmico para esporotricose associada ao gato. 

A Revista Cães&Gatos VET FOOD tem acompanhado de perto a evolução e expansão da esporotricose no Brasil, sendo que o momento atual é mais alarmante do que os retratados em outras edições. 

Confira os detalhes na reportagem da edição deste mês. Clique aqui.

materia esporotricose

Reportagem completa está disponível na edição de abril, nº 212, da C&G, em revistacaesegatos.com.br

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

FÁBRICA DE GUARULHOS (SP), DA ZOETIS, É COMPRADA PELA UNIÃO QUÍMICA

EXAME ANTECIPA A DETECÇÃO DE PROBLEMAS RENAIS EM CÃES E GATOS