Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Estresse animal e contenção: médica-veterinária explica como lidar com os felinos

Por Equipe Cães&Gatos
gato escondido
Por Equipe Cães&Gatos

Uma situação inusitada repercutiu em diversos locais: Durante coletiva de imprensa com o jogador da seleção brasileira Vini Jr. no Catar, um gato subiu em cima da mesa onde acontecia a entrevista. Para conter o animal, um assessor da CBF pegou o felino de uma forma que gerou questionamentos sobre a prática.

O Conselho Regional de Medicina Veterinária de São Paulo (CRMV-SP) se posicionou sobre a situação indicando que a retirada do animal poderia ter sido mais cuidadosa, uma vez que profissionais realizariam a prática de outra maneira. No entanto, ressalta que, diante da situação, a forma como ocorreu pode ter sido a mais segura para o assessor se resguardar, visto que existe a possibilidade de transmissão de importantes zoonoses, principalmente quando se trata de um animal cuja origem e condição de saúde é desconhecida.

“É fundamental encontrar a maneira adequada de contenção, de modo que tanto a pessoa quanto o animal não corram riscos. Em situações estressantes, o cuidado deve ser redobrado”, explica a médica-veterinária proprietária da Clínica exclusiva Gato é Gente Boa, Vanessa Zimbres.

Ao citar situações de estresse, Vanessa relembra as festividades do fim de ano, momento em que é comum as pessoas se reunirem nas casas para celebrar. “Nesse período, é muito importante que os tutores ofereçam um ambiente confortável para os animais”.

A médica-veterinária enumera situações que podem elevar os níveis de estresse: “Forçar o animal a usar roupinhas temáticas, barulhos, como música alta e fogos de artifício ou outros artefatos sonoros, e até mesmo viagens de férias podem desencadear o estresse”.

Nas festas, com a casa cheia de gente e diversos barulhos, é muito importante que os tutores ofereçam um ambiente confortável para os animais
(Foto: reprodução)

Contenção de danos

A segurança deve vir em primeiro lugar, portanto, para evitar acidentes, providenciar um ambiente seguro para que os gatos possam se esconder até passar o efeito estressante é fundamental. “É preciso cuidado, pois ao contrário do que muita gente pensa, o animal que está assustado ou estressado não deve ser contido. Segurar para acalmá-lo, como se faz com pessoas, pode gerar efeito contrário. Isso não significa agressividade e sim uma tentativa de se proteger e, ao agir dessa forma, pode causar acidentes”, explica.

Em último caso, se for realmente necessária a contenção com o objetivo de protegê-lo ou resguardar pessoas, é preciso se atentar com a maneira adequada. “A melhor maneira de contenção envolve o uso de caixas de transporte, de forma que a pessoa possa transportar o animal com segurança para ambos. Outra opção é com o uso de toalhas. Nesse caso, deve-se colocá-la com cuidado sobre o animal, cobrindo boca e unhas. Em seguida, ele pode ser segurado e colocado com cuidado diretamente no chão”, exemplifica.

O ambiente enriquecido é um aliado para que o gato fique confortável. Por isso, nas festas de fim de ano ou qualquer outra situação que pode ser estressante, Vanessa orienta o seguinte:

  • Mantenha os animais em um ambiente silencioso, se não for possível, faça simulações prévias com sons, como por exemplo: música e vozes de forma gradativa;
  • Providencie um espaço, de preferência com locais altos, com tudo o que o gato vai precisar;
  • Use difusor felino para tranquilizá-lo;
  • Verifique portas, janelas e outros possíveis locais de fuga e mantenha-os fechados.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Médica-veterinária fala sobre as confraternizações e o hábito de presentear com um animal de companhia

Estudo da FMVZ-USP sugere que rações úmidas prejudicam mais o meio ambiente do que secas

Gatos: urina fora da caixa de areia é um comportamento que pode indicar problemas

Compartilhe este artigo agora no