Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Estudo aponta que os cães são capazes de identificar estresse dos tutores pelo cheiro

Por Equipe Cães&Gatos
focinho
Por Equipe Cães&Gatos

Uma pesquisa da Queens´s University, do Reino Unido, indica que os cães podem perceber o estresse dos tutores pelo olfato. Segundo a análise, a precisão é de 93,7%. Ainda de acordo com o estudo, “o cheiro do estresse” é reconhecido pelo suor e pela respiração dos humanos.   

focinho
Os cachorros têm 220 milhões de receptores olfativos em comparação com os 50 milhões dos humanos, o que os torna mais eficazes na diferenciação e identificação de odores (Foto: Reprodução)

No total, dos 700 testes realizados pelos estudiosos, em mais de 650 os cães identificaram pelo suor e pela saliva que a pessoa estava estressada. A médica-veterinária Joana Barros, da Gaia Medicina Veterinária Integrativa, conta que os cachorros têm 220 milhões de receptores olfativos em comparação com os 50 milhões dos humanos, o que os torna mais eficazes na diferenciação e identificação de odores.  

Joana conta que esses animais têm o olfato muito aguçado e que em alguns casos, como os cães dos Batalhões de Polícia, são utilizados para identificar algo suspeito. Ela explica que o focinho do cachorro é tão poderoso que pode até mesmo identificar as emoções de seu dono e perceber coisas que vão além da compreensão humana.  

“Um outro estudo mostrou para nós que os cães não só farejam o nosso estresse, mas também sentem o efeito dele e de outras emoções como medo e felicidade.  Às vezes o animal pode ficar mais agitado e estressado se o dono também estiver. Como esses bichinhos tem uma capacidade olfativa aguçada, é preciso prestar atenção ao que vamos passar para eles para uma boa relação”, destaca a especialista.  

Cães de serviço que ajudam pessoas com problemas de saúde mental, como ansiedade e transtorno de estresse pós-traumático, podem se beneficiar dessas descobertas. A pesquisa também abre as portas para investigar se os cães podem diferenciar emoções, além de saber por quanto tempo o animal pode detectar os odores.  

Joana dá algumas dicas de atitudes que o tutor pode ter para aliviar essa carga de estresse e não transferir essas emoções para o pet. “Tomar um bom banho quando chegar em casa para tirar o suor de estresse ou até mesmo trocar de roupa são atitudes que ajudam o seu cãozinho não ficar estressado, para que possam passar mais tempo de qualidade juntos” 

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Sofrimento dos pets pode causar distúrbios psicológicos em tutores e veterinários

Médica-veterinária destaca a importância da conscientização sobre o câncer de mama em gatos

Fadiga por compaixão é um dos males atuais dos profissionais da Medicina Veterinária

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!