in

EXPERTISE DO VETERINÁRIO EM EPIDEMIOLOGIA COLABORA EM TEMPOS DE PANDEMIA

Profissionais são essenciais dentro da Vigilância Sanitária para conter a Covid-19

Profissionais são essenciais dentro da Vigilância Sanitária para conter a Covid-19

Uma das ações essenciais ao enfrentamento da pandemia de Covid-19 é a participação dos médicos-veterinários em equipes de Vigilância Sanitária (VS). Isso porque os profissionais têm, em sua formação e como expertise, a Epidemiologia, o que agrega significativamente para com as ações de prevenção de doenças.

Como comentado pelo membro da Comissão Técnica de Saúde Pública Veterinária, do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP), Mário Ramos, o médico-veterinário é capacitado para atuar com visão macro na redução de riscos à saúde.

Ramos lidera a VS em Bauru (SP) e assessora o gabinete da Secretaria de Saúde da cidade quanto à pandemia. “O cronograma de fiscalizações e processos de licenciamentos da VS passou a incluir inúmeras visitas para a verificação de procedimentos de segurança contra o coronavírus”, diz.

O médico-veterinário se refere à certificação de que estão sendo atendidas as regras sanitárias, como o uso de máscaras, disponibilização de álcool 70%, distanciamento entre as pessoas e outras eventuais observações que possam interferir na prevenção da Covid-19.

Demanda diversificada. Em Campinas (SP), também é uma médica-veterinária que está à frente da VS: Andrea Von Zuben comenta que a pandemia provocou alta e diversificação das demandas. “Os profissionais chegaram a visitar 25 estabelecimentos de diferentes segmentos, no período de apenas quatro horas”, afirma e destaca, ainda, a articulação dos médicos-veterinários no aspecto educativo.

Andrea enfatiza, ainda, que os profissionais da VS coordenam ações conjuntas com outros órgãos da cidade, como Procon, Defesa Civil e Guarda Civil Municipal. “Neste cenário, ficou ainda mais evidente o importante papel do médico-veterinário na VS”, avalia.

Essa interface com outras instituições foi mencionada também pelo médico-veterinário supervisor geral da VS de Marília e integrante do Comitê gestor da Covid-19 da cidade, Luciano Villela. “Há uma movimentação intersetorial na contingência para a redução do número de casos da doença. Neste âmbito, o médico-veterinário é peça-chave”, argumenta. De acordo com Villela, a participação dos profissionais que estão na VS é indispensável para a elaboração adequada dos protocolos sanitários de retomada gradual das atividades econômicas, o que interfere diretamente na vida dos cidadãos.

Superar e empoderar. Villela afirma que a pandemia trouxe novos desafios aos médicos-veterinários da VS: “O maior é lidar com um vírus novo”, diz ele, que também aponta a dificuldade em fazer com que haja adesão às medidas sanitárias. Por outro lado, comemora quatro notas verdes de Marília, em relação ao Plano São Paulo como resultado também da contribuição da Vigilância Sanitária.

Na opinião de Mário Ramos, quando se fala em VS, bem como nas demais áreas englobadas pela área de Vigilância em Saúde, trata-se de investir na solução, em vez de remediar. “Pesquisas já apontam que são gastos R$ 6 com tratamentos para cada R$ 1 em prevenção. Isso precisa mudar com o empoderamento dos profissionais das áreas da Vigilância em Saúde”, conclui.

Fonte: CRMV-SP, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

REPRODUÇÃO

ESTUDO ANALISA COMPORTAMENTO DE TUTORES DE PETS NA PANDEMIA

REPRODUÇÃO

CFMV COMENTA SOBRE LEISHMANIOSE NA SEMANA DE COMBATE À DOENÇA