Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Clínica e Nutrição

Fármaco contra PIF não é liberado no Brasil, por isso, a prevenção ainda é o melhor remédio

Por Equipe Cães&Gatos
gato na clínica
Por Equipe Cães&Gatos

A Peritonite Infecciosa Felina (PIF) é uma doença que tem como agente etiológico o Coronavírus Felino (FCov). A médica-veterinária com ênfase em Medicina Felina da Clínica Chatterie, Mariana da Silva Lira, explica que o Coronavírus Felino por si só, é um patógeno de baixa virulência, que infecta as células intestinais dos gatos, causando pouco ou nenhum sinal clínico. “É um vírus de alta prevalência entre a população felina, ou seja, quase todos os gatos já tiveram, em algum momento da sua vida, contato com este agente. Entretanto, devido a uma interação entre capacidade de mutação do vírus e suscetibilidade imunológica do indivíduo, a infecção por este vírus pode adquirir um caráter sistêmico, levando à inflamação de diversos órgãos e culminando em versão da infecção com grandes complicações e repercussões, incluindo o óbito, dos gatos que evoluem para esta condição”.

- PUBLICIDADE -

A médica-veterinária da Chatterie Centro de Saúde do Gato e professora e coordenadora da pós-graduação em Felinos do IBM VET, Rochana Rodrigues Fett, afirma que, pelo fato da PIF ser uma doença causada por imunocomplexos, a imunossupressão é a base do tratamento. “Altas doses de glicocorticoides são utilizadas em virtude de seu potencial imunossupressor e anti-inflamatório. É comum, também, a associação de drogas citotóxicas como a ciclofosfamida e clorambucil”.

Já a médica-veterinária com atuação em atendimento especializado em felinos, Ludmilla Malta fala que, hoje, há um fármaco promissor no tratamento da PIF: o GS-441524. “Tal medicamento está em estudo no exterior. O tratamento consiste em 12 semanas de aplicação e possuem como efeito colateral reações no local da aplicação para os gatos que fazem o tratamento injetável e sintomas gastrointestinais em gatos que fazem o uso da medicação oral”.

Mariana Jardim diz que o GS-441524 é uma forma ativa da pró-droga Remdesivir, utilizado como terapia em casos de COVID-19 grave, um análogo de nucleosídeos, mais especificamente da adenosina, a principal molécula empregada na terapia promissora contra a PIF, até mesmo para os felinos com manifestação neurológica associada à doença, segundo trabalhos científicos recentes. “Os tratamentos propostos baseados neste produto podem ser realizados por meio de preparações injetáveis ou orais. Outros produtos similares ao GS-441524, como o Mutian, também estão sendo utilizados para o controle da eliminação fecal do FCoV e tratamento da PIF”, aponta.

A médica-veterinária com ênfase em Medicina Felina da Clínica Chatterie, Mariana da Silva Lira, conta que, comercialmente, o GS-441524 ainda não está disponível no Brasil. “Alguns tutores conseguem adquirir a medicação em sites internacionais. Esperamos que brevemente já esteja disponível para ser prescrito e adquirido em território nacional”.  

Para saber mais sobre o fármaco, acesse nossa revista on-line e leia a reportagem completa. Clique aqui.

(Foto: C&G VF)

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Medicina Veterinária da URI promove IV Semana Acadêmica e III Mostra Científica

Veterinário atua como voluntário em casa que acolhe pessoas LGBTQIA+ e seus pets

Projeto Cannabis nas Universidades é criado por profissionais da Veterinária

Compartilhe este artigo agora no