Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Pets e Curiosidades

Fumaça do cigarro afeta saúde respiratória dos pets

Exposição constante pode levar até mesmo ao desenvolvimento de câncer
Por Equipe Cães&Gatos
fumaça cachorro
Por Equipe Cães&Gatos

Que o cigarro é uma substância cancerígena, isso já é de conhecimento geral. Mas, você sabia que ele faz mal tanto à saúde dos pets quanto dos humanos? Isso acontece porque os produtos químicos tóxicos, presentes na fumaça do cigarro, podem ser prejudiciais também se inalados de forma passiva. 

A exposição ao fumo passivo, que pode aumentar significativamente o risco de problemas respiratórios em animais, assim como ocorre em humanos. Essa exposição pode levar a condições como problemas respiratórios, alergias e doenças cardíacas. 

De acordo com a médica-veterinária do Grupo Hospitalar Pet Support, Izadora Chamun Gil, a exposição constante ao fumo passivo pode levar até mesmo ao câncer. “Os pets, por compartilharem o mesmo ambiente que seus tutores, estão suscetíveis aos mesmos riscos do fumo passivo que afetam os seres humanos”, explica.

Desse modo, ao evitar fumar perto dos pets, o tutor não apenas preserva a qualidade do ar compartilhado, mas também protege a saúde em longo prazo, já que a fumaça do tabaco contém substâncias nocivas que podem ser especialmente prejudiciais para os sistemas respiratórios sensíveis dos animais.

“É importante a conscientização sobre os perigos do fumo passivo em animais de forma ampliada para garantir que os tutores estejam bem informados sobre as práticas que podem impactar negativamente seus animais de estimação”, destaca Izadora.

Por compartilharem o mesmo ambiente que seus tutores, animais estão suscetíveis aos mesmos riscos do fumo passivo que afetam os seres humanos (Foto: divulgação)

Algumas medidas podem auxiliar nos cuidados com os pets. Uma delas é fumar ao ar livre, evitando fumar dentro de casa ou em espaços fechados onde seus animais passam a maior parte do tempo. Também vale criar zonas sem fumo, designando áreas específicas para fumar, afastadas de locais frequentados por animais.

A conscientização também é vital: eduque-se e compartilhe informações sobre os riscos do fumo passivo em animais com outros tutores. Além disso, mantenha consultas regulares ao veterinário para monitorar a saúde respiratória de seus animais de estimação.

“Ao adotar práticas conscientes e promover ambientes livres de fumo, os tutores estão dando um passo significativo para garantir uma vida mais saudável para seus animais de estimação”, finaliza a médica-veterinária.

Fonte: Grupo Hospitalar Pet Support, adaptado pela equipe Cães e Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Cães e gatos podem ter alergia aos seres humanos

Parceria estimula internacionalização do setor pet

Médico-veterinário exerce funções estratégicas na saúde pública

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!