Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Clínica e Nutrição

Giardíase é uma doença comum e que jamais deve ser negligenciada, por se tratar de uma zoonose

Por Equipe Cães&Gatos
cão no vet
Por Equipe Cães&Gatos

É giardíase ou não? Os sinais e sintomas apresentados pelo cão ou gato sinalizam que o animal apresenta Giárdia? A médica-veterinária e professora doutora e coordenadora do Programa de Pós-graduação em Patologia Animal e Experimental, Maria Anete Lallo, explica que a giardíase trata-se da infecção por Giardia duodenalis, um protozoário muito prevalente em cães. Segundo ela, no Brasil, é uma enfermidade emergente. “Cerca de 20% dos animais apresentam a infecção, porém nos animais suscetíveis jovens, idosos e imunossuprimidos, as porcentagens são maiores”.

O médico-veterinário especializado em Gastroenterologia, mestre e doutorando em Patologia Animal, vice-presidente da Associação Brasileira de Gastroenterologia Veterinária (ABRAGA), Felipe Romano, conta que é uma doença protozoária frequente em animais e em humanos no mundo todo. “Os países tropicais e com grande população de cães são os mais acometidos, mas a doença existe em todo o mundo, inclusive em países de clima temperado e polar”.

O médico-veterinário mestre e doutorando em Ciências Animal com ênfase em Gastroenterologia, especializado em Gastroenterologia Veterinária, membro da ABRAGA, professor de clínica médica e cirúrgica da PUC Goiás e da UniGoiás, Iago Martins Oliveira, conta que essa casuística elevada tem relação com manejo sanitário que os animais domésticos são expostos, a população de animais e a presença endêmica do agente etiológico no Brasil.

E o que causa essa doença? Segundo Iago Martins Oliveira, a giardíase é uma doença parasitária causada pelo protozoário flagelado Giardia intestinalis. “Outras espécies do agente protozoárico podem atingir diferentes animais e têm importância para o trato gastrointestinal. Em cães e gatos, parasita o duodeno e causa alterações diretas e secundárias mediadas pela disbiose secundária”, afirma.

Segundo Felipe Romano, o ciclo da Giardia sp. se dá da seguinte forma: “O parasita infecta os intestinos do hospedeiro (humano ou animal) e é liberado pelas fezes do mesmo sob a forma de cistos que podem ficar viáveis durante semanas no ambiente e podem contaminar objetos, água e alimentos”.

A professora Anete  Lallo acrescenta que, ao ingerir água ou alimentos contaminados, os cães e gatos se infectam. “Do cisto, os trofozoítos são liberados e parasitam o intestino, causando inflamação. Então, os animais infectados iniciam a liberação de cistos, contaminando o meio ambiente”. 

Iago Martins Oliveira conta que as condições sanitárias estão diretamente relacionadas com a doença. “O período de incubação é de sete a dez dias e a eliminação dos cistos nas fezes de um animal infectado dependerá da carga de infecção. A giardíase é uma zoonose, portanto, homens e animais participam do seu ciclo de vida”.

Ainda segundo ele, as formas mais comuns da infecção por Giardia sp. é pela via fecal-oral por ingestão de água e/ou alimentos contaminados com cistos que foram excretados nas fezes de indivíduos infectados. “Também pode haver participação de fômites que estão em contato direto com o animal suscetível, visto que os cistos podem ficar no ambiente, o que favorece a reinfecção”, diz.

Para saber os primeiros sinais e sintomas e se há maneiras de prevenir a doença, leia a reportagem completa em nossa revista on-line. O acesso é gratuito. Clique aqui.

(Foto: C&G VF)

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Vira-lata caramelo: veterinária comenta favoritismo por cães sem raça definida, especialmente dessa cor

Dos Alpes Suíços para o mundo: raça São Bernardo é muito companheira de seus tutores

Entidades relevantes da causa animal promovem movimento social #Chegadefogos

NewsLetter

Cadastre-se agora e receba nossos boletins e atualizações em seu email. 

Integração
Captcha obrigatório
Seu e-mail foi cadastrado com sucesso!