in

GUIA LISTA ESTABELECIMENTOS PET FRIENDLY DE SÃO PAULO E RIO DE JANEIRO

Número de lugares públicos que aceitam pets cresce a cada dia

Número de lugares públicos que aceitam pets cresce a cada dia

Adaptar estabelecimentos para receber pets é uma tendência já consolidada nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro, assim, os chamados locais “pets friendly”, ou seja, locais que aceitam animais de estimação, têm se tornado comuns. 

A Associação Brasileira da Indústria de Produtos para Animais de Estimação (Abinpet, São Paulo/SP) incentiva a posse responsável dos pets. Por isso, ressalta que, como em qualquer atividade fora de casa, é crucial que o pet esteja com guia e coleira com medalha de identificação. 

De acordo com a jornalista autora do “Guia Pet Friendly” Cris Berger, os estabelecimentos buscam incrementar o serviço oferecendo pote de água, petiscos, cardápio e até caminha no caso de hotéis. Para fazer o guia, Cris se inspirou no seu cocker spaniel Cozumel, que faleceu em 2014.  “Um dia pensei: vou escrever um guia com dicas de lugares pet friendly. Afinal de contas, temos que aproveitar o máximo de tempo possível com eles”, relembra. 

pet

Serviço oferece pote de água, petiscos, cardápio e até caminha no caso de hotéis (Foto: reprodução)

A jornalista lançou o guia em fevereiro de 2015 com a chegada da Ella, sua cadela adotada e deficiente física. Apesar de a aceitação dos pets em lugares públicos ser cada vez mais comum, ainda há algumas barreiras a ultrapassar quando os assuntos são tamanho e raça, afirma Cris. “Existe um ‘pré-conceito’ errôneo de que pets pequenos são comportados. Eles apenas são portáteis”. Na avaliação da jornalista, a fase é de quebra de tabus e conquista de confiança. “Os tutores devem educar bem seus pets para que eles tenham um comportamento exemplar”.

Fonte: Abinpet, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PROJETO DE EXTENSÃO AUXILIA A ESCOLHA DE CÃES DE RAÇA PARA ESTIMAÇÃO

CFMV PEDE INFORMAÇÕES SOBRE A VENDA DE MEDICAMENTO CONTRA LEISHMANIOSE