in

Protozoário causa doença dos pontos brancos em peixes marinhos

Cryptocaryon irritans é um protozoário de forma oval, cílios e um núcleo com quatro segmentos

O comércio de peixes marinhos agrega espécies de peixes de muitos países, totalizando 1450 espécies, das quais 90% são capturadas em seu habitat natural. Assim, essa prática pode prejudicar o equilíbrio da vida marinha e colocar em risco certas populações de espécies selvagens. Além disso, por meio desta atividade, a translocação de indivíduos é capaz de disseminar patógenos, como protozoários ectoparasitas, para diversos lugares. Nesse cenário, entra em discussão a doença dos “pontos brancos”, uma enfermidade extremamente comum na clínica de peixes marinhos teleósteos.

A criptocarionose ou doença dos “pontos brancos” em peixes marinhos é causada pelo Cryptocaryon irritans, um protozoário que apresenta aparência bem característica com uma forma oval, cílios e um núcleo com quatro segmentos. Este ectoparasita obrigatório de peixes selvagens ou cativos apresenta ciclo de vida complexo, pois o parasita possui desenvolvimento tanto no hospedeiro quanto no ambiente aquático.

O peixe infectado pelo parasita apresenta pontos brancos ou nódulos nas nadadeiras, pele e brânquias, os quais evidenciam a invasão do protozoário no epitélio desses tecidos, afetando suas funções fisiológicas. Contudo, a ausência de lesões macroscópicas não exclui a possibilidade do animal ter uma infecção assintomática, sendo indispensável a realização do diagnóstico microscópico. Outros sinais apresentados pelo peixe acometido pela doença são: “flashing”, brânquias pálidas, dificuldade respiratória (observada pelo aumento da frequência dos movimentos operculares), perda de peso, letargia, irritação da pele, e aumento da produção de muco.

Leia o artigo completo na edição de janeiro da C&G VF. Acesse revistacaesegatos.com.br!

Referências bibliográficas

Cardoso, P. H. M.; BalianS. C. Cryptocaryon irritans em peixes ornamentais marinhos importados. Revista de Educação Continuada em Medicina Veterinária e Zootecnia do CRMV-SP, v. 13, n. 2, p. 43-44, 10 nov. 2015.

Noga, E.J. Fish Disease: Diagnosis and Treatment, Second Edition. Wiley-Blackwell: Ames, IA, 2010.

Jepson, L. Exotic Animal Medicine, a quick reference guide. Second Edition. Elsevier: St Louis, Missouri, 2016.

CARDOSO, Pedro Henrique Magalhães; SOARES, Herbert Sousa; MARTINS, Maurício Laterça; BALIAN, Simone de Carvalho. Cryptocaryon irritans, a ciliate parasite of an ornamental reef fish yellowtail tang Zebrasoma xanthurum. Brazilian Journal of Veterinary Parasitology, [S. l.], v. 28, n. 4, p. 750-753, 13 jun. 2019

COLORNI, A. Aspects of the biology of Cryptocaryon irritans, and hyposalinity as a control measure in cultured gilt-head sea bream Sparus aurata. Diseases of Aquatic Organisms, [S. l.], v. 1, p. 19-22, 21 dez. 1985

POUIL, Simon; TLUSTY, Michael F.; RHYNE, Andrew L.; METIAN, Marc. Aquaculture of marine ornamental fish: overview of the production trends and the role of academia in research progress. Reviews in Aquaculture, [S. l.], p. 1-14, 27 ago. 2019.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

Linxacariose felina é pouco estudada, porém de grande relevância

Estudo realizado pela Universidade de Oregon analisa interesse dos gatos