in

Especialista em medicina felina fala sobre cuidados com gatos no verão

Coisas que refrescam humanos também podem servir à espécie

Coisas que refrescam humanos também podem servir à espécie

As altas temperaturas do verão não são fáceis para humanos, mas já imaginou como os gatos reagem a este período do ano? Segundo a médica-veterinária especializada em medicina felina, Vanessa Zimbers, espécie exige cuidados especiais.

Como explica a profissional, “engana-se quem pensa que os gatos não sentem calor e também não passam mal com as altas temperaturas, típicas desta época do ano. O verão, para eles, pode ser sinônimo de problemas de saúde, desidratação, insolação e até desmaios”.

Para evitar que isso ocorra, a especialista destaca que é fundamental se atentar ao comportamento do felino e adotar alguns cuidados para mantê-lo confortável e saudável durante os meses mais quentes.

“Os gatos se comportam de uma maneira mais sutil, diferente dos cães, mas também sofrem com o calor. Para aliviar, eles tendem a se lamber com mais frequência. Essa é uma tática dos felinos para ajudar a resfriar o corpo”, exemplifica a médica-veterinária proprietária da clínica Gato É Gente Boa, a primeira do interior paulista a obter o selo Cat Friendly Practice Gold.

Entre os sinais, inquietude, respiração acelerada e salivação intensa também se fazem presente e que, segundo a especialista, o calor já está incomodando muito e o animal precisa de um ambiente mais fresco e arejado. “Tudo o que fazemos para nos refrescar, também irá beneficiar os gatos. É muito importante reconhecer estes sinais para não comprometer a saúde dos pets”, destaca Vanessa.

Referente às mudanças necessárias, a profissional alerta para que o tutor se certifique de que o gato tem bastante água – e fresca. “Vale colocar cubos de gelo nos bebedouros e disponibilizar vários potes pela casa”, pontua ela.

Outra ação que também é muito eficaz, é o uso de toalhas úmidas. Barriga, ponta das patas e axilas são três das várias partes quentes do corpo do gato. Embora a maioria não goste de se molhar, a médica-veterinária sugere umedecer uma toalha e acariciá-lo suavemente da cabeça até as costas. “Isso vai ajudar não só a refrescar, mas a relaxar o gato. Se ele se sentir incomodado, tente escovar os pelos”, orienta.

Perante os ambientes, ela indica que as janelas sejam abertas – nisso, manter as cortinas fechadas –, ligando o ventilador ou o ar-condicionado em uma temperatura razoável. Nas áreas externas, se não tiver partes com sombra, vale fazer cabanas com pano ou caixas de papelão.

“O ideal é que eles não se exponham entre 10 e 16 horas, que é quando o sol está mais forte e a temperatura mais alta. Se isso acontecer, restrinja a área neste período”, destaca a médica-veterinários sobre os banhos de sol.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

Segundo estudo, cerca de 90% das espécies de animais deverá perder habitat até 2050

Novos rumos: eleição para triênio do CRMV-SP tem chapa única homologada