in

Veterinários: Trabalhar em pé pode causar desconfortos e problemas de saúde

Alongamento e fortalecimento muscular são importantes para evitar as dores

Trabalhar em pé durante o dia a dia pode ser desgastante, mas, pior que isso, levar a problemas de saúde. A fisioterapeuta e proprietária do Instituto Patricia Lacombe, Patricia Lacombe, comenta que a manutenção da postura ortostática (em pé) apresenta várias desvantagens, como: fadiga, dor, desconforto, tensão muscular e tendência à acumulação do sangue nas pernas, o que predispõe ao aparecimento de insuficiência valvular venosa nos membros inferiores, resultando em varizes e sensação de peso nas pernas.

Segundo ela, as venopatias (doenças que acometem os vasos sanguíneos) são comuns em indivíduos que precisam passar de 45 a 50% da jornada de trabalho nesta posição, alguns fatores preditores que podem favorecer o desenvolvimento desses problemas são: sobrepeso, obesidade, sedentarismo e hereditariedade. Quem passa parte do dia em pé pode apresentar problemas circulatórios e de coluna. “Os sinais e sintomas mais comuns de distúrbios circulatórios são inchaço, dores em membros inferiores, vermelhidão, queimação, cãibras nas pernas e, em casos um pouco mais graves, cor azulada em locais onde há maior comprometimento do retorno venoso”, diz Patricia.

A profissional comenta que há como amenizar os desconfortos por passar muito tempo em pé: “Alongamentos e fortalecimento muscular são grandes aliados para evitar dores e incômodos durante o dia e após a jornada de trabalho. Além disso, para melhorar a circulação de sangue no dia a dia e não prejudicar tanto a coluna, durante o trabalho, é importante caminhar (mesmo que por curtos períodos) para ativar a musculatura de membros inferiores; alguns exercícios de dorsiflexão e extensão do pé também podem auxiliar tanto nas dores quanto no retorno venoso. Para a coluna, é importante sempre se policiar quanto a postura em pé, ajustando o local de trabalho para que não haja descompensações na coluna durante as tarefas laborais”, afirma.

Leia a reportagem completa, na editoria Mindvet, da edição do mês da C&G VF. Clique aqui.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

LEIA TAMBÉM:

CFMV apoia projeto de estímulo à pesquisa do Sebrae em parceria com diversas empresas

Clínica: A icterícia é um sinal para diferentes doenças nos animais de companhia

Médicas-veterinárias de felinos explicam acometimento por Síndrome de Pandora

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

CFMV apoia projeto de estímulo à pesquisa do Sebrae em parceria com diversas empresas

Discussão: A cor dos pelos do gato influencia em seu comportamento?