in

CRMV-SP declara: população deve estar alerta, pois chuvas aumentam riscos de zoonoses

Alagamentos e enchentes podem ocasionar surtos de doenças como a leptospirose

Foi possível observar dias de fortes chuvas neste mês de fevereiro, provocadas pelo calor e pela alta umidade na atmosfera, que têm deixado várias cidades de São Paulo, por exemplo, em estado de alerta para alagamentos. As inundações causam muitos transtornos, além de aumentarem o risco de zoonoses – doenças ou infecções transmissíveis entre animais e seres humanos.

De acordo com o médico-veterinário membro da Comissão Técnica de Saúde Pública Veterinária do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de São Paulo (CRMV-SP), Luiz Henrique Martinelli Ramos, o excesso de chuvas pode provocar um aumento no número de casos de leptospirose.

“Isto ocorre principalmente porque a água invade as tocas e galerias que servem de moradia para as ratazanas, espalhando a bactéria causadora dessa doença. Portanto, todas as ações que evitem acúmulo de materiais em bocas de lobo, beira de córregos ou no leito d’água ajudam a minimizar a ocorrência da doença”, afirma Ramos.

A médica-veterinária que integra a Comissão Técnica de Saúde Ambiental do CRMV-SP, Ana Claudia Furlan Mori, explica que moradores de regiões próximas a áreas de alagamento devem ficar atentos e tomar os cuidados necessários para evitar a contaminação da água, do solo e até mesmo dos alimentos com a urina de roedores portadores da Leptospira.

Se for necessário entrar em contato com a água, o ideal é utilizar vestimentas e calçados adequados (Foto: reprodução)

Proteção. Ramos também recomenda evitar andar por áreas alagadas. “Se for necessário entrar em contato com a água, o ideal é utilizar vestimentas e calçados adequados, como botas de borracha, evitando, assim, as chances de contaminação”, orienta.

Além da proteção individual, é indicado descartar todos os alimentos que estavam abertos ou que tiveram contato com a água contaminada e higienizar os utensílios de cozinha com água sanitária.

O médico-veterinário reforça que, além da leptospirose, o acúmulo de água favorece a transmissão de outras doenças como dengue, zika e chikungunya. “Essas zoonoses têm grande impacto na Saúde Pública e cada um deve fazer a sua parte para evitar sua proliferação”, observa.

Segundo Ana Claudia, “o controle das zoonoses está diretamente relacionado com o nível de exposição da população, às condições de manejo ambiental, à espécie animal envolvida, às ações da vigilância epidemiológica e à vacinação nos casos de doenças imunopreveníveis”.

Além desses cuidados individuais, é preciso proteger os animais de estimação. Cada espécie de animal doméstico tem a sua particularidade no que se refere à susceptibilidade e transmissão de doenças. “Entre os pets, os cães são os que nos trazem maior preocupação, pois também são susceptíveis à leptospirose”, explica Luiz Henrique Ramos.

Fonte: CRMV-SP, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Gestores: CFMV promove novo encontro a fim de melhor integrar os regionais

Projeto que monitora onça-parda na Mata Atlântica ajuda a entender o comportamento da espécie

Fernando de Noronha: Trabalho em equipe garante manejo de gatos com método CED

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Loading…

0

Comments

0 comments

Gestores: CFMV promove novo encontro a fim de melhor integrar os regionais

Entidade mundial publica novas diretrizes para avaliar a eficácia dos antiparasitários