in

INSTITUTO PET BRASIL AFIRMA: MERCADO PET DEVE CRESCER 6% EM 2020

Serviços digitais são a nova tendência reforçada pela pandemia

Passados os primeiros seis meses de 2020, o mercado pet brasileiro confirmou a projeção de crescimento de 6% em 2020, com leve alta em relação à prévia do 1 tri. Os dados são do Instituto Pet Brasil (IPB). Os números mais recentes levam em conta todo o primeiro semestre de 2020.

A projeção atual calcula um faturamento de R$ 37,5 bilhões até o final deste ano, crescimento de 6,25% em relação aos seis primeiros meses de 2019, com destaque para alta de 22% em produtos veterinários e 12% em serviços veterinários. Para o novo cálculo, o IPB diluiu as compras por comércio eletrônico nas categorias por tipo de produto ou serviço. No entanto, a última previsão já apontava crescimento de 65% nesse tipo de canal de compra, ainda levando em consideração apenas os três primeiros meses do ano.

Ao final dos seis meses, todas as categorias registraram alta. Chama atenção o número positivo em relação aos serviços gerais (alta de 4,69%) e venda de animais direto do criador (7,7%) dois segmentos que haviam apresentado queda durante o 1º tri de 2020. Em relação ao market share de cada segmento, pet food representa 48% das vendas, seguido por pet vet (13%) serviços veterinários (12%), serviços gerais (10%), venda de animais direto dos criadores (11%) e pet care (6%). “As famílias passaram a ficar muito mais em casa, ou exclusivamente dentro de casa, e isso refletiu em maior cuidado e dedicação com os pets. Agora, a tendência é que, mesmo passada a pandemia e a crise do coronavírus, serviços digitais, como assinatura de produtos e o e-commerce mais aquecido tenham chegado para ficar”, opina o presidente Executivo do IPB, Nelo Marraccini.

Censo pet. A população pet no Brasil é de, aproximadamente, 141,6 milhões de animais, um crescimento de 1,70% frente a 2018, quando foram contabilizados 139,3 milhões de animais.

O número de cães no Brasil subiu 1,7% de 2018 para 2019, de 54,2 milhões para 55,1 milhões. Os gatos apresentaram crescimento declarado de 3%: de 23,9 milhões para 24,7 milhões de pets felinos. Peixes ornamentais cresceram 1,5% em número de população, de 19,1 milhões para 19,4 milhões de animais. Aves, 0,5%, de 39,8 milhões para 40 milhões. Répteis e pequenos mamíferos cresceram 4%, de 2,3 milhões e 2,4 milhões.

A quantidade de empresas que atuam no setor pet brasileiro em 2019 foi de cerca de 252 mil estabelecimentos. A cadeia de distribuição (pontos de vendas como pet shops, consultórios e clínicas veterinárias, agrolojas e varejo de alimentos) correspondeu a 61,1% das companhias. O restante dos estabelecimentos é composto por indústrias (0,2%) e criadores (38,6%).

Nesse universo, o varejo pet especializado, ou seja, os pet shops, são 32 mil estabelecimentos. Dentre esses, a maior parte está na categoria de pet shop loja de vizinhança (79,6%), que se caracteriza por apresentar faturamento médio de R$ 60 mil a R$ 100 mil, possuir até quatro funcionários e oferecer cerca de 30% de cobertura do mix de produtos pet.

Canais de venda. Em 2019, as vendas de produtos do setor pet se concentraram no comércio especializado (80,5%). Já o comércio alimentar, que compreende estabelecimentos como supermercados, respondeu por 10,8% das vendas. O comércio eletrônico correspondeu a 3,7% das movimentações, e o comércio direto de animais pelo criador diretamente às famílias foi responsável por 5% das vendas.

O número de pontos de venda para produtos pet no Brasil superou 150 mil estabelecimentos. Dentre esses, cerca de 60% pertence à categoria do varejo alimentar. Os pet shops, representadas por lojas de grande porte, médio porte e de vizinhança também são expressivas, com participação de 20,7% (mais de 32 mil estabelecimentos).

Estima-se que o número de empregos do setor pet, considerando tanto o setor formal quanto o informal, foi mais de 2,4 milhões no Brasil. A maioria desses empregos concentra-se nos criadores. Destaca-se ainda os setores da indústria e o especializado que compreendem empregos com maior qualificação e formalização: esses dois juntos representaram mais de 127 mil empregos em 2019, data do último levantamento de atividade econômica do setor pet.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

PROFESSORA RESPONDE: REFORÇO VACINAL NOS PETS É IMPORTANTE?

BIÓPSIA LÍQUIDA SUBSTITUI CIRURGIA PARA DIAGNÓSTICO DE ALGUNS QUADROS