in

INTELIGÊNCIA CANINA NÃO É SUPERIOR A DE OUTRAS ESPÉCIES, APONTA ESTUDO

Autores da pesquisa pontuam que habilidades são adquiridas com treinamento

Autores da pesquisa pontuam que habilidades são adquiridas com treinamento

As habilidades caninas costumam fazer com que a espécie seja vista como a mais inteligente quando comparada aos outros animais. Entretanto, um estudo publicado recentemente discorda dessa afirmação. De acordo com o coautor do levantamento, Stephen Lea, quase tudo que um cão pode fazer, os outros animais também conseguiriam. Buscar a bolinha, rolar no chão e trazer chinelos parece não ser algo exclusivo da espécie.

A análise comparativa da cognição de cães, lobos, gatos, chimpanzés, golfinhos, cavalos e pombos, entre outros, mostrou que a cognição dos cães não parece excepcional. “Longe de mim sugerir que os pombos são mais espertos que os cachorros; eles não são grandes intelectuais. Mas, dependendo da tarefa, confio mais em um pombo que em um cachorro”, diz Lea.

Um motivo apontado pelos pesquisadores para que o cão desenvolva essas habilidades é, justamente, o fato de acreditar-se que eles são mais inteligentes e, portanto, são treinados para realizar certas tarefas que os demais animais não são. Mas esse treinamento tem seus limites, como as forças policiais da América do Norte estão descobrindo.

No Canadá e em alguns estados americanos, os cães farejadores de drogas estão sendo obrigados a se aposentar precocemente, por causa da legalização da maconha. “Um cão não consegue dizer: ‘Ei, estou sentindo cheiro de maconha’ ou ‘estou sentindo metanfetamina’. Eles têm o mesmo comportamento diante de qualquer droga em que tenham sido treinados”, explica o chefe de polícia de Rifle, Colorado, Tommy Klein.

caes_bolinha_1

Impressão de que cães são mais inteligentes faz comque a espécie seja uma das mais treinadas (Foto: reprodução)

Pensando nisso, um tribunal do Colorado determinou que um cão treinado para farejar uma variedade de drogas não deve ser utilizado para detectar atividades ilegais durante uma blitz, porque poderá estar alertando a polícia para uma droga que agora está legalizada.

O olfato aguçado dos cães, que podem ser de 10 a 100 mil vezes mais sensíveis que o dos humanos, pode ser utilizado em outras situações. Os cães são capazes de detectar câncer de bexiga e ovário em amostras de urina e câncer de pulmão em amostras de respiração.

Outro estudo mostrou que eles também são capazes de detectar malária. Os pesquisadores não sabem ao certo qual é o cheiro que os cães identificam, mas os parasitas produzem compostos orgânicos semelhantes aos encontrados nos perfumes. “Se um único composto químico indicasse a presença de malária, nós já o teríamos descoberto”, diz o supervisor do treinamento dos cães no estudo, Claire Guest.

Um dos autores do estudo sobre a malária, Steve W. Lindsay, afirma que seria possível treinar animais locais, como o rato gigante, que já foi utilizado para detectar minas terrestres e tuberculose. “Acho que as pessoas iriam preferir ver cães em vez de ratos correndo nas alfândegas”, disse Lindsay.

Fonte: Estadão, adaptado pela equipe Cães&Gatos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CÃO ‘ASTRO DE CINEMA ORIENTAL’ PASSA POR PROCEDIMENTO DE CLONAGEM

CFMV RESSALTA FALTA DE COMPROVAÇÕES SOBRE OZONIOTERAPIA