in

INTERAÇÃO SOMENTE COM HUMANOS PODE SER SINAL DE ANSIEDADE DE SEPARAÇÃO

Especialista em comportamento animal explica que ação pode desencadear outros problema

Especialista em comportamento animal explica que ação pode desencadear outros problema

A ansiedade de separação, como o nome já deixa muito claro, reflete à necessidade em que o animal desenvolve em se manter perto do tutor. Questão que, segundo muitos especialistas poderá ser notada com maior frequência com a retomada das atividades rotineiras após a pandemia.

De acordo com o especialista em comportamento animal, Cleber Santos, o problema, que gera um apego incontrolável do animal pelo tutor pode acarretar uma série de comportamentos negativos. “Os cachorros são companheiros e se apegam muito a sua família humana, mas quando existe um apego incontrolável, o pet começa apresentar uma série de problemas quando precisa ficar sozinho em casa”, explica.

Para ajudar na identificação, Santos pontua algumas ações que devem ser observadas atentamente, como a lambedura compulsiva das patas, o choro desesperado, o ato de fazer necessidades em locais impróprios e a chamada ‘recepção exagerada’, uivos após a saída do tutor, destruição de objetos da casa, incômodo excessivo com barulhos e a interação somente com humanos.

Neste último caso, o profissional ressalta que, ao começar a notar que o pet interage apenas com o próprio tutor ou outras pessoas e quando está na presença de outros cães demonstra agressividade e falta de socialização, é um grande alerta. “Esta situação é bem complicada tanto para você quanto para seu cachorro, pois pode trazer situações adversas e difíceis de serem controladas”, afirma.

Por isso, ao notar os pontos citados acima, procurar ajuda de um profissional capacitado em treinamento animal é extremamente importante.

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

REPRODUÇÃO

MANEJO NUTRICIONAL AUXILIA PROGRAMAS DE PERDA DE PESO

REPRODUÇÃO

VETNIL INICIA PERÍODO DE INDICAÇÕES AO PRÊMIO VETERINÁRIO DO ANO