in

LOCAIS QUE CULTIVAM PETS AQUÁTICOS DEVEM TER RESPONSÁVEL TÉCNICO

Obrigatoriedade vem a partir de Resolução do CFMV

Obrigatoriedade vem a partir de Resolução do CFMV

Foi publicada no dia 15 de agosto, no Diário Oficial da União, a Resolução CFMV nº 1165 de 11 de agosto de 2017, que regulamenta a Anotação de Responsabilidade Técnica (ART) e o registro de profissionais de estabelecimentos que cultivam e mantêm organismos aquáticos. 

A resolução busca detalhar as obrigações do profissional responsável técnico, levando em conta as demais normas do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CFMV, Brasília/DF) que também tratam de responsabilidade técnica, como as resoluções nº 582/1991, nº 683/ 2001 e nº 1041/ 2013. 

peixe

O RT deve ser responsável pela avaliação sanitáriae saúde dos animais (Foto: reprodução)

A Resolução CFMV nº 1165 foi proposta pelo GT de Aquicultura, criado pelo CFMV em 2015. No início deste ano, passou por consulta pública e contou com contribuições de diversas entidades e da sociedade civil. Segundo o presidente do GT, o médico-veterinário Eduardo Azevedo, a resolução vem para facilitar as relações de trabalho e trazer maior segurança jurídica. “Com ela, pretendemos proteger quem está contratando e também o profissional, evitando problemas de relação de trabalho”, diz. 

Azevedo também explica que a resolução visa aumentar a produtividade e a competitividade entre os estabelecimentos. “Assim, podemos garantir a saúde, o bem-estar animal e a qualidade dos alimentos, bem como a saúde coletiva”. Ele esclarece, ainda, que os estabelecimentos que já seguem a legislação não terão custos adicionais. 

O texto da resolução esclarece que os estabelecimentos de cultivo e manutenção de organismos aquáticos incluem aqueles usados para reprodução e produção, ensino, recreação, aquários de visitação, entre outros. 

A resolução também lista as funções do RT, médico-veterinário ou zootecnista, no exercício de suas funções. Entre elas, estão a de orientar e verificar que o estabelecimento tenha mecanismos de controle, regulação e avaliação dos serviços prestados; oriente a destinação de resíduos; seja responsável pela qualidade dos insumos produzidos; implemente ações de boas práticas de aquicultura; entre outras. 

O RT médico-veterinário deve ser responsável pela avaliação sanitária e saúde dos animais que ingressem no estabelecimento, pelo uso responsável dos produtos veterinários e pela prevenção e controle de doenças e infecções que podem causar danos à saúde pública. A resolução entra em vigor seis meses após sua publicação no Diário Oficial. 

Fonte: CMFV, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

FÓRUM INTERNACIONAL ROYAL CANIN MARCA DIA DE CONHECIMENTO E INTERAÇÃO

PREFEITURA DE SÃO PAULO REALIZA SPANIMAL PARA FAMÍLIAS E SEUS PETS