in

MAIS DE DOIS MIL ANIMAIS APREENDIDOS SÃO REINTRODUZIDOS À NATUREZA NO ESTADO DE ALAGOAS

Ação foi desenvolvida pela FPI, pelo CFMV e pelo CRMV-AL

Em sua 5ª etapa, a Fiscalização Preventiva Integrada (FPI), da Bacia do Rio São Francisco reintroduziu, em unidades de conservação do Estado, cerca de 95% dos 2.696 animais apreendidos, incluindo pássaros, répteis e mamíferos. Os demais animais foram encaminhados ao Centro de Triagem de Animais Silvestres de Maceió (AL), para recuperação. A ação foi realizada em 15 municípios do estado de Alagoas entre os dias 9 e 20 de maio.

O médico-veterinário e integrante da Comissão Nacional de Animais Selvagens do Conselho Federal de Medicina Veterinária (CNAS-CFMV, Brasília/DF), Isaac Albuquerque, participou da equipe Fauna. A ação também contou com a participação do Conselho Regional de Medicina Veterinária do Estado de Alagoas (CRMV-AL) e outros 21 órgãos estaduais, federais e entidades.

As ações da Equipe Fauna incluíram fiscalizações em feiras livres e em áreas residenciais, triagem e reintrodução de animais silvestres, além de apreensão de armas e apetrechos de caça. O objetivo da FPI, promovida pelo Ministério Público do estado (MPE-AL), é dar continuidade aos trabalhos de diagnosticar os danos ambientais na bacia hidrográfica do Rio São Francisco e problemas que afetam a vida da população que mora nos municípios.

Além dos animais, também foram apreendidas por outras equipes da FPI, 20 mil metros de rede de pesca e recolhidos 13.6 mil covos, que possibilitaram a reintrodução à natureza de cem mil seres de diversas espécies de camarões e peixes. Além disso, a Equipe de Produtos Animais apreendeu duas toneladas e meia de queijo clandestino. Segundo os integrantes, diversas fábricas trabalham sem higiene, com leite que não é pasteurizado e pode levar à morte dos consumidores.

Há ainda uma Equipe de Educação Ambiental, criada a partir da 3ª etapa, que leva conhecimento às escolas das redes públicas municipal e estadual com a realização de dinâmicas com os estudantes. O trabalho é complementado pela Equipe Fauna, que incentiva a entrega voluntária de animais silvestres pela população.

“A união desses órgãos e entidades representa uma oportunidade para que possam ampliar a potencialidade de sua atuação na defesa da sociedade, do meio ambiente e da saúde pública”, declarou a Promotora de Justiça Lavínia Fragoso, que coordena a FPI de Alagoas.

A iniciativa de Alagoas segue o exemplo da FPI na Bahia, que já passou por 115 municípios e, em sua 37ª edição, também realizada em maio, resgatou mais de dois mil animais em cativeiro. Ao final das operações no Estado, é realizada uma audiência pública para apresentar os resultados da fiscalização preventiva integrada para os gestores municipais, representantes da sociedade civil e organizações sociais da região.

Fonte: CFMV, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

ESTABELECIMENTOS VETERINÁRIOS DE PRESIDENTE PRUDENTE (SP) RECEBEM FISCALIZAÇÃO

TÃO IMPORTANTE QUANTO A ALIMENTAÇÃO, ÁGUA TRAZ INÚMEROS BENEFÍCIOS AO ORGANISMO DO PET