in

Médica-veterinária da Royal Canin Brasil fala sobre adaptação de filhotes

Período é o mais desafiador aos tutores, por isso, atenção redobrada é essencial

Os primeiros meses de vida de um pet exigem muitos cuidados e com toda certeza, fazem parte do período mais desafiador aos tutores. A fim de ajudar neste ponto, a médica-veterinária e coordenadora de Comunicação Científica da Royal Canin Brasil, Dra. Priscila Rizelo, oferta algumas dicas sobre adaptação.

Segundo a profissional, de imediato, os tutores devem se preparar para a chegada do filhote e sua adaptação. Além de comprar os acessórios necessários para ele e cuidar dos preparativos adequados em casa, é vital levar o filhote ao médico-veterinário para uma verificação completa da saúde e para que possa tirar todas as dúvidas sobre o novo membro da família.

“O alimento para gatos e cães filhotes deve ser de alta qualidade e adequado à idade, raça ou porte. A Royal Canin possui fórmulas especialmente desenvolvidas para o crescimento e desenvolvimento saudável dos filhotes, que garantem uma nutrição especialmente desenvolvida para as necessidades específicas deste momento”, explica a médica-veterinária.

Além disso, os animais, de acordo com ela, adoram rotina. Por isso, uma boa dica é sempre fornecer o alimento no mesmo local e horário. “Ao invés de deixar o alimento à vontade e disponível o tempo todo, respeite a quantidade indicada na embalagem e forneça em pequenas porções ao longo do dia, o que evitará o sobrepeso no filhote. Também é muito importante realizar a transição de alimentos de forma gradual quando a dieta do filhote mudar”, pontua.

Perante a segurança dos filhotes, já que os mesmos são curiosos e gostam de explorar todo o ambiente, a coordenadora de comunicação indica uma maior atenção com plantas tóxicas, objetos delicados e quebráveis e que seja restringido o acesso à piscina e escadas. Telas nas janelas são fundamentais, especialmente para gatos.

Para o fornecimento de petiscos e recompensar alimentares, Priscilla destaca que treinar o filhote é essencial para que ele se acostume com a guia e a coleira, aprenda a usar a caixa de transporte e saiba o local correto onde fazer suas necessidades e usá-los é muito importante. “Petiscos são ótimas recompensas, mas lembre-se que as calorias devem ser contabilizadas no total diário. As calorias dos petiscos não devem exceder 10% do total de calorias ingeridas no dia”.

Vale ressaltar que é importante dar o tempo necessário para o filhote conhecer a casa e vá, aos poucos, liberando o acesso aos diferentes cômodos. “Supervisione para que ele não se perca e não acesse locais inadequados. Gatinhos, por exemplo, adoram se esconder dentro de armários ou dentro do forro do sofá”, indica Priscilla, lembrando que “as sessões de treinamento não precisam ser complicadas ou durar horas. Depois de um tempo, a atenção do filhote pode começar a se desviar”.

“Para ajudar o filhote a entender, é vital ser consistente. Por exemplo, você não deve permitir algo um dia e proibir em outro. Quando se trata de treinamento, a melhor abordagem é sempre usar as mesmas palavras para os mesmos comandos e incentivar os membros da família a fazerem o mesmo”, finaliza a profissional.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

CRMVs já podem indicar profissionais aos prêmios Paulo Dacorso e Octávio Domingues

Gata do Mato é resgatada e reabilitada por equipe multidisciplinar, no interior de SP

Médico-veterinário fala sobre adaptação de animais que sofreram maus-tratos

(Foto: reprodução)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

calopsita

Alimentação balanceada para calopsitas aumenta expectativa de vida

Aves: saiba como lidar com a Síndrome de Arrancamento das Penas