Cães e gatos logo

Buscar na cães e gatos

Pesquisar
Close this search box.
- PUBLICIDADE -
Clínica e Nutrição

Médica-veterinária fala sobre os cuidados com os gatos durante a primavera

Por Equipe Cães&Gatos
gato flor
Por Equipe Cães&Gatos

Apesar da beleza, nem tudo são flores na primavera. A chegada da nova estação traz consigo um ambiente mais úmido, a temperatura mais amena e a primeira coisa que vem na mente é um ambiente mais florido. Porém, algumas flores e plantas podem causar sérios problemas de saúde aos pets. 

gato flor
Algumas plantas e flores podem causar sérios problemas de saúde aos pets (Foto: Reprodução)

Lírios: belos, porém letais 

No caso dos gatos, uma planta que apresenta grande perigo é o lírio, explica Vanessa Zimbres, médica-veterinária especializada em medicina felina e diretora da Clínica Gato é Gente Boa, em Itu (SP). “Vale para qualquer tipo de lírio. Todas as partes da planta são extremamente tóxicas para os gatos e podem causar injúria renal aguda, ou seja, lesões que se iniciam com a perda da função renal e podem levar até mesmo à morte”. 

Além dos lírios, plantas como: azaleia, antúrios, hibisco, comigo ninguém pode e espada de São Jorge também são tóxicas para os felinos. 

Vanessa reforça que, além da jardinagem do ambiente onde o gato convive, é preciso se atentar a outros elementos comuns na estação e que prejudicam a saúde dos animais e até mesmo dos humanos. “É importante que os animais fiquem em ambiente seguro. Gatos que circulam pelas ruas ou locais desconhecidos, podem também ter acesso a fertilizantes, herbicidas e pesticidas, além das plantas tóxicas”, diz. 

A especialista enumera outros problemas que podem ocorrer. “A prevenção de ectoparasitas deve ser redobrada. Nessa época, aumenta a infestação por pulgas e carrapatos, que podem causar diversas doenças infecciosas, parasitárias e alérgicas”. 

Nesse aspecto, a veterinária reforça que para os gatos “só devem ser usados antipulgas indicados para eles e de acordo com o peso do animal. Por isso, é preciso sempre buscar orientação de um profissional”. 

Outro ponto é o acúmulo de água das chuvas, que pode estar contaminada com urina de ratos, causando leptospirose. “Embora seja menos comum em gatos, sendo os cães mais susceptíveis, a doença pode afetar humanos”. 

Vanessa complementa que, nessa época, casos de alergias são comuns, seja pelo pólen das plantas ou devido a fungos que se aproveitam da umidade. 

Cuidados e ambiente adequado 

O ideal é que os gatos não convivam ou não tenham acesso a ambientes que tenham plantas tóxicas. Caso isso ocorra e o gato faça a ingestão de lírio, o socorro deve ser imediato. “Quanto antes o animal for assistido, melhores as chances de recuperação. A injúria renal causada pela planta pode não se manifestar inicialmente, dependendo do grau de exposição, porém, o gato sofrerá as consequências futuramente”, orienta Vanessa. 

Caso o contato tenha sido com outras plantas, o animal pode apresentar sintomas, como: salivação, desorientação, vômitos, entre outros, que podem fazer com que o gato deixe de se alimentar e sofra as consequências da anorexia. 

Para enriquecer o ambiente e deixa-lo no clima da primavera, é possível substituir plantas e incluir elementos para que os gatos fiquem seguros. “Algumas opções de plantas são lavanda, orquídea, bromélia, camélia e suculentas, além das plantinhas que os gatos adoram, como: hortelã, catnip, e graminhas para gatos”, cita. 

Fonte: AI, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Vacinação dos pets ainda se apresenta como o melhor combate contra a raiva

Veterinário que atua com animais silvestres fala sobre as calopsitas e seu comportamento

Investimento em treinamento de cães e operadores reforça segurança do País

Compartilhe este artigo agora no