in

Medicina Veterinária Legal engloba mais que a atuação em casos de maus-tratos a animais

No entanto, a graduação ainda não está preparada para a formação de peritos brasileiros

A Medicina Veterinária Legal (MVL) tem a finalidade de buscar por justiça social e o papel do profissional é utilizar o conhecimento sobre Medicina Veterinária para responder perguntas que o mundo jurídico faz sobre determinada situação envolvendo animais ou produtos de origem animal.

A explicação acima foi dada pela médica-veterinária, coordenadora da Associação Brasileira de Medicina Veterinária Legal (ABMVL), em São Paulo, Esther Mercedes Espejo de Faria Alvim. Ela comenta que o médico-veterinário pode atuar como Perito Oficial Criminal em instituições policiais, as quais se ingressa por meio de concurso público; como Perito Judicial, realizando cadastro nos tribunais de justiça e aguardando nomeação do juiz para atuar em um caso que tenha conhecimento para tal e como Assistente Técnico, auxiliando uma das partes em um processo judicial.

O médico-veterinário Daniel de Araújo Viana acrescenta que o Perito Oficial é aquele que realiza a perícia oficial, a qual é responsável pela avaliação pericial em crimes. “No Brasil, temos poucos Estados com cargos de perito criminal veterinário dentro das perícias forenses ou polícias científicas. A polícia federal, por outro lado, conta com médicos-veterinários em seu corpo”, expõe.

No entanto, de acordo com a médica-veterinária, mestra em Ciências Veterinárias e doutora em Ciências Veterinárias, e presidente da ABMVL, Norma Centeno Rodrigues, a graduação ainda não está preparada para a formação de peritos. “Poucas faculdades no Brasil têm essa disciplina e, quando têm, ela não é obrigatória. Essa demanda reprimida é suprida por cursos de especialização ou de extensão, bem como por eventos nessa área, principalmente realizados pela ABMVL, que congrega quem atua nesse campo”, comenta.

Ela ressalta que cursos e pós-graduação são fundamentais para seguir na área: “Oferecem o conhecimento que não é compartilhado em disciplinas específicas na graduação. Embora o médico-veterinário, a partir de sua formatura e habilitação no Conselho de classe possa ser perito, o conhecimento é uma condição indispensável para atuar como perito ou assistente técnico”, pontua Norma.

Continue lendo a reportagem na íntegra, gratuitamente, em nossa revista on-line. Clique aqui.

Fonte: Redação Cães&Gatos VET FOOD. 

LEIA TAMBÉM:

Um olho no gato, outro no sachê: entenda os benefícios da dieta úmida

Plenária aprova resolução sobre diretrizes da Lei de Proteção de Dados no Sistema CFMV/CMRVs

Além de moradores de rua, seus animais também recebem abrigos durante o inverno

(Foto: C&G VF)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

CFMV fará ações contra zoonoses em aldeias indígenas

CFMV e Ministério da Saúde planejam ações de controle de zoonoses em aldeias indígenas

Vagas de emprego no setor pet apresentaram crescimento de 13% em 2020