in

Médico-veterinário destaca os malefícios do consumo de chocolate por pets

No feriado, tutores devem ficar atentos e ofertar alimentos adequados

A Páscoa é um momento muito aguardado para todos. Contudo, período exige muito cuidado com os cães e gatos, já que o alimento é tóxico aos animais de companhia.

De acordo com o médico-veterinário mestre em nutrição de cães e gatos e supervisor de capacitação técnico-científica da PremieRpet, Flávio Silva, no panorama de alimentos tóxicos aos pets, o chocolate é um dos maiores vilões.  “O fígado dos cães e gatos não metaboliza corretamente a substância teobromina, que está diretamente relacionada com a quantidade de cacau presente no chocolate. Quanto mais cacau, mais teobromina o produto contém e mais tóxico para os pets ele é”, explica o profissional.

Por isso, não pode haver engano, um pequeno pedaço do doce já é o suficiente para causar intoxicação. Ainda segundo o mestre em nutrição, os animais de pequeno porte podem ser ainda mais afetados, pois uma menor quantidade de chocolate poderá causar sintomas mais graves, devido ao baixo peso corporal.

“Como a teobromina age intensamente no organismo, pode ocorrer aumento de contrações musculares, excitação nervosa, micção em excesso, elevação da temperatura corporal, respiração acelerada, taquicardia, vômitos e diarreia”, pontua o médico-veterinário, lembrando que a gravidade do quadro varia de acordo com a quantidade ingerida.

 Referente aos riscos, Flavio esclarece que apesar dos casos letais serem mais raros, existe alta incidência de indisposições gastrointestinais, especialmente em animais pequenos e jovens, devido à quantidade de toxina em relação ao peso do pet. “Além do risco de intoxicação e do mal-estar, o chocolate pode acarretar outros males ao organismo do animal, como a obesidade e suas complicações”, alerta.

Prevenir é a melhor conduta. O profissional ressalta que é importante ficar atento e não deixar os ovos de Páscoa e bombons em locais acessíveis a cães e gatos. Eles podem se sentir atraídos pelo cheiro, pela embalagem e “roubar” sem que os donos percebam. Além disso, é fundamental orientar as crianças para que não dividam a guloseima com o animal de estimação.

“Para agradar os pets, o recomendado é fornecer alimentos apropriados e nutricionalmente balanceados para eles”, orienta Flavio Silva. No feriado, os tutores devem aproveitar o momento para brincar e apostar na oferta de petiscos, como os cookies super premium da PremieRpet.

Fonte: A.I, adaptado pela equipe Cães&Gatos VET FOOD.

LEIA TAMBÉM:

Dia da Mulher: Veterinária atua fora das quatro paredes da clínica em prol dos animais

CRMV-SP oferta dicas para o resgate seguro de animais em situação de rua

Entidades internacionais criam ferramenta para avaliação dos riscos de doenças zoonóticas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Chefe do Setor de Fiscalização fala da importância do protagonismo feminino na Veterinária

Special Dog Company reforça importância de parceria com a Fundação Abrinq